Combustíveis interrompem ciclo de subidas. Preços não mexem na próxima semana

Depois de várias semanas de subida dos preços, o litro da gasolina vai permanecer inalterado na próxima semana, ainda que no valor mais alto desde novembro. O gasóleo também não vai sofrer alterações.

Na semana a seguir à corrida às bombas de combustível para atestar os depósitos, provocada pelas falhas de abastecimento originadas pela greve dos motoristas de materiais perigosos, os preços da gasolina e do gasóleo vão ficar inalterados. No caso da gasolina, é a primeira vez que o preço não sobe em 11 semanas.

Fonte do setor adiantou ao ECO que tanto o litro do gasóleo como o da gasolina não vão sofrer alterações na próxima semana. O litro da gasolina simples 95 ficará nos 1,546 euros da passada segunda-feira, e o gasóleo simples nos 1,383 euros.

A manutenção dos preços é um reflexo da estabilidade registada na cotação internacional dos produtos petrolíferos, já que a evolução destes depende do comportamento da cotação do petróleo e derivados nos mercados internacionais na semana anterior e ainda da cotação do euro face ao dólar — as matérias-primas são geralmente transacionadas em dólares e a valorização da divisa americana torna as exportações para o euro mais caras.

Desta forma, e depois de uma semana de correria e longas horas em filas de abastecimento para assegurar um depósito cheio ao longo do fim de semana prolongado da Páscoa, os condutores em Portugal poderão começar a respirar fundo, já que além da estabilização dos preços, também se sentirá a estabilização da oferta.

Conforme explicou a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro) ao ECO, a normalização do abastecimento será uma realidade já no início da próxima semana.

“A partir de hoje [quinta-feira] há melhorias, mas nem hoje nem amanhã a situação ficará normalizada”, sublinhou António Comprido, secretário-geral da Apetro, acrescentando que “se houver trabalho ao longo deste fim de semana, se os transportadores e motoristas estiverem disponíveis para fazerem esse esforço, admitimos que, efetivamente, ficar normalizada até ao início da próxima semana”.

De salientar, porém, que os preços dos combustíveis em Portugal podem variar de posto para posto.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Combustíveis interrompem ciclo de subidas. Preços não mexem na próxima semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião