Boeing já perdeu mil milhões com os 737 Max. Ações sobem em Wall Street

A Boeing já perdeu mil milhões de dólares com a proibição de voo dos seus 737 Max, mas as ações sobem. Caterpillar tem lucros, mas ações perdem. Wall Street está praticamente inalterado.

A Boeing já perdeu mais de mil milhões de dólares com a paragem forçada dos seus 737 Max, na sequência da queda de dois aviões deste modelo, um em outubro na Indonésia e outro em março na Etiópia, que provocaram a morte a 346 pessoas. Apesar das perdas, as ações da Boeing estão a valorizar 1,7%, mas não o suficiente para que os principais índices da bolsa de Nova Iorque negoceiem em “terreno” positivo.

Num dia marcado pelos resultados da fabricante de aviões norte-americana e da gigante do fabrico de maquinaria para construção Caterpillar, Wall Street segue praticamente inalterado. O industrial Dow Jones está a perder 0,1%, o tecnológico Nasdaq recua 0,07%. O S&P 500, por seu lado, perde 0,03%.

O dia está a ser marcado pelos resultados da Boeing, que continua sem saber quando é que os 737 Max vão voltar a voar. Depois dos acidentes em outubro e em março, a Boeing ainda está a correr as falhas do sistema de controlo de voo que levaram à queda dos dois aviões na Indonésia e na Etiópia. A correção das falhas e o treino adicional que terá de ser dado aos pilotos.

A fabricante norte-americana retirou ainda as orientações que tinha dado em relação aos resultados futuros, justificando a decisão com a incerteza nesta altura em relação ao período em que os aviões ficarão proibidos de voar e os prejuízos que daí resultarão.

Já a gigante do fabrico de maquinaria para construção Caterpillar foi em sentido inverso. Apesar de anunciar receitas e lucros acima do esperado, as ações da empresa estão a cair mais de 3% em bolsa.

Comentários ({{ total }})

Boeing já perdeu mil milhões com os 737 Max. Ações sobem em Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião