Com tempo mais seco, produção e distribuição de eletricidade da EDP cai

A produção de eletricidade da EDP no primeiro trimestre do ano diminuiu 13%, segundo revelam os dados operacionais previsionais da elétrica. Este desempenho deveu-se à falta de chuva.

Com o tempo seco, sentido em Portugal nos primeiros três meses do ano, a produção de eletricidade da EDP caiu 13% face ao mesmo período no ano anterior. As temperaturas mais altas do que o normal fizeram também reduzir a procura residencial na Península Ibérica no primeiro trimestre de 2019.

A produção eólica reduziu-se em 4%, enquanto a produção hídrica diminuiu 34%, aponta a elétrica, nos dados operacionais comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Esta queda é justificada com os “escassos níveis de hidraulidade e eolicidade”.

O cenário climático mais quente do que o habitual levou também a uma diminuição do volume de eletricidade comercializada na região ibérica, de 3,9% face ao período homólogo, bem como da eletricidade distribuída, que caiu 4,8%. Já no Brasil teve o efeito oposto, e fez o volume de eletricidade distribuída subir 5,1%.

Por outro lado, “a capacidade instalada aumentou 2% nos últimos 12 meses, dos quais 74% de fontes renováveis”, adianta ainda a elétrica. Este crescimento deveu-se a parques eólicos, nomeadamente na América do Norte, segundo aponta a empresa liderada por António Mexia.

Comentários ({{ total }})

Com tempo mais seco, produção e distribuição de eletricidade da EDP cai

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião