GNR lança “fiscalização intensiva” a táxis, ubers, transferes e tuk-tuks já esta segunda-feira

  • Lusa
  • 26 Maio 2019

Operação em todo o continente visa “zelar pelo cumprimento da lei e das regras da concorrência relativas à utilização de veículos afetos ao exercício de transporte individual de passageiros"

A GNR inicia na segunda-feira, em todo o país, uma operação de fiscalização “intensiva” aos transportes individuais de passageiros que visa garantir o cumprimento da lei e das regras da concorrência.

A operação, que decorre até domingo, irá fiscalizar o transporte de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma eletrónica (TVDE), ‘Tuk-Tuk’, transferes e táxis, adianta a Guarda Nacional Republicana, em comunicado.

Segundo a GNR, será “uma operação de fiscalização rodoviária intensiva em todo o continente”, que visa “zelar pelo cumprimento da lei e das regras da concorrência relativas à utilização de veículos afetos ao exercício da atividade de transporte individual e remunerado de passageiros”.

A operação acontece “numa época de franca expansão de diferentes formas e conceitos de transporte, impulsionadas por empresas de táxis, agências de viagens e turismo, empresas de animação turística e, fundamentalmente pela atividade de TVDE, atividade que conta com mais de 4.300 operadores e cerca de 11.400 motoristas”, sublinha o comunicado.

Durante a operação, os militares irão fiscalizar o licenciamento e a certificação dos motoristas e dos seus veículos, além de verificar o cumprimento das normas do Código da Estrada, nomeadamente a utilização do cinto de segurança, o excesso de lotação, uso do telemóvel a conduzir e a condução sob efeito do álcool ou substâncias psicotrópicas.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

GNR lança “fiscalização intensiva” a táxis, ubers, transferes e tuk-tuks já esta segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião