Polícia espanhola detém futebolistas por alegada manipulação de resultados

  • Lusa
  • 28 Maio 2019

Jogadores da primeira e segunda liga espanhola de futebol detidos por manipular os resultados de jogos e obter benefícios em apostas. Raúl Bravo, ex-jogador do Real Madrid é o cabecilha da rede.

Vários jogadores da primeira e segunda liga espanhola de futebol foram detidos esta segunda-feira por suspeitas de terem criado uma organização para manipular os resultados de jogos e obter benefícios em apostas, noticia a agência EFE.

Um dos detidos, o ex-jogador do Real Madrid Raúl Bravo, seria o cabecilha desta organização criminosa, tendo ainda sido detidos Borja Fernández, do Valladolid, Ínigo López, jogador do Deportivo, Samuel Saiz, jogador do Getafe, por empréstimo do Leeds, e Carlos Aranda, ex-jogador de várias equipas da primeira divisão.

Também foram detidos pela polícia Agustín Lasaosa, presidente do Huesca, clube no qual alinha o defesa português Luisinho, e Juan Carlos Galindo Lanuza, chefe dos serviços médicos do mesmo clube.

Todos os detidos são suspeitos de organização criminosa, corrupção e branqueamento de capitais.

A polícia espanhola começou esta operação desde as primeiras horas da manhã, a partir de uma denúncia que, segundo a EFE, foi apresentada em maio de 2018, sobre a manipulação de resultados num jogo, no final da última temporada desportiva.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Polícia espanhola detém futebolistas por alegada manipulação de resultados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião