Papeleiras e energia pressionam Lisboa

A praça lisboeta arranca o dia em terreno negativo, com os desempenhos do setor papeleiro e energético a penalizar o índice. Lisboa acompanha as perdas na Europa.

A bolsa de Lisboa arranca a sessão a cair, com a maior parte das cotadas no vermelho. A praça nacional está assim em linha com as restantes bolsas europeias, que recuam entre preocupações de uma recessão global. Por cá, os títulos que mais penalizam o índice são os do BCP, que cai mais de 1%.

O PSI-20 desce 0,49% para os 5.081,62 pontos nesta abertura, com apenas três cotadas a registar ganhos. No Velho Continente, o dia também começa em terreno vermelho, numa altura de disputa entre Itália e a Comissão Europeia sobre a violação das regras do Pacto de Estabilidade. O índice de referência Stoxx 600 recua 0,85%, o alemão DAX cai 1% e o francês CAC 40 desce 1,2%.

Na bolsa nacional, o setor papeleiro é um dos mais penalizados. A Altri recua 2,27% para os 6,04 euros, enquanto a Navigator cai 1,15% para os 3,27 euros. A pressionar o índice encontram-se também as energéticas, com a EDP a recuar 0,83% para os 3,32 euros, e a Galp Energia a cair 0,07% para os 13,85 euros.

Já nos ganhos, destaque para a EDP Renováveis, que avança 0,92% para os 8,82 euros. A Mota-Engil regista também uma abertura positiva, ao subir 0,57% para os 2,12 euros, depois de conseguir fechar vários contratos em alguns países africanos, como Angola, aponta uma nota de análise do BCP.

Comentários ({{ total }})

Papeleiras e energia pressionam Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião