Espanhola Nexo quer entrar em Portugal. Planeia ter dez residências para estudantes

A espanhola Nexo Residencias está a analisar o mercado português para entrar no segmento das residências estudantis. Para além de Lisboa e Porto, Braga e Coimbra são outras opções.

A espanhola Nexo Residencias poderá contribuir para amenizar o problema da falta de residências estudantis no país. Olhando para Portugal como um “mercado óbvio”, a empresa está a planear aterrar em Lisboa e no Porto, mas Braga e Coimbra também são outras opções. O objetivo é disponibilizar 4.000 camas já no próximo ano e “estar entre os primeiros operadores [de residências] do país”.

“Estamos muito motivados e animados com a entrada em Portugal, mas não é tudo fácil”, começa por contar ao ECO Christopher Holloway, managing director da Nexo Residencias em Espanha, propriedade da Global Student Acommodation (GSA). Há certos aspetos no país, como as leis, a cultura e o idioma, que requerem que esta entrada seja bem estudada e é por isso que a empresa já tem pessoas cá a estudar o mercado.

Dando voz à Nexo, Christopher quer “estar onde estão os estudantes”. E é nesse sentido que antecipa que as cidades em mira são o Porto e Lisboa, mas também Coimbra e Braga. Sobre o investimento estimado, o responsável prefere não falar, mas revela que a meta é disponibilizar mais de 4.000 camas em Portugal, o que representa a implementação de até dez residências para estudantes até 2021. “Gostaríamos de estar entre os primeiros operadores do país”, confessa.

Sobre a forma como pretende inaugurar essas residências, Christopher adianta que a empresa está “aberta às possibilidades que o mercado oferecer”. Isto é, reabilitar edifícios é uma hipótese, mas construir de raiz também: “Construir é favorável sempre que haja mercado e nós podemos fazê-lo de uma forma mais ‘verde’ e sustentável que outros. Mas também iremos estudar reabilitar edifícios existentes”. Além disso, a gestão de outras residências pode fazer parte dos planos.

Algumas das residências estudantis que a Nexo tem em Espanha

Questionado sobre o valor mensal das residências, o responsável espanhol não adiantou números. Contudo, fez questão de sublinhar que a empresa tem “consciência do modelo socioeconómico do país” e que cada produto está concebido para um mercado específico.

No site da Nexo, os preços das seis residências em Espanha — Madrid, Barcelona e Alcalá de Henares — começam nos 739 euros mensais, mas podem chegar aos 2.000 conforme a cidade e as condições. No geral, os quartos podem ser individuais ou duplos e podem ter casa de banho privativa. Incluem um serviço de refeições sete dias por semana, para além de uma limpeza semanal.

Comentários ({{ total }})

Espanhola Nexo quer entrar em Portugal. Planeia ter dez residências para estudantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião