Fortes D’Aloia & Gabriel abre em Lisboa

  • BRANDS' ECO
  • 4 Junho 2019

A Fortes D’Aloia & Gabriel, uma das principais galerias brasileiras de arte contemporânea, está agora presente em Lisboa com um escritório localizado no Chiado.

A Fortes D’Aloia & Gabriel é uma galeria sediada no Brasil que sempre teve uma vocação internacional. Esta nova base operacional contribui para ampliar a presença internacional dos seus artistas – seja em exposições institucionais, galerias parceiras ou coleções particulares.

Maria Ana Pimenta, portuguesa que trabalhou seis anos na galeria em São Paulo é a diretora internacional e responsável pelo escritório.

No seu novo espaço em Lisboa, a Fortes D’Aloia & Gabriel apresenta uma exposição que estabelece um diálogo entre as fotografias da dupla Bárbara Wagner & Benjamin de Burca e as esculturas em cerâmica do inglês Jesse Wine. As obras inéditas orbitam em torno do corpo como tema, ainda que sob abordagens distintas: de um lado, Wagner & de Burca estão centrados no ‘corpo popular’ e suas estratégias de subversão e visibilidade; de outro, Wine apresenta um corpo fragmentado em pés, mãos e cabeças que interpretam de forma subjetiva o comportamento humano.

As fotografias de Wagner & de Burca integram a série Swinguerra (2019), criada especialmente para o Pavilhão do Brasil na 58a Bienal de Veneza. O trabalho foi desenvolvido em estreita colaboração com grupos de dança da periferia do Recife, acompanhando sua intensa rotina de ensaios para competições em torno de ritmos como a swingueira, o brega funk e o batidão do maloka. Nos trabalhos de Jesse Wine, o aspecto responsivo da argila é testado de diversas formas em um processo aberto à experimentação e ao acaso. Nunca usando moldes e empregando uma ampla gama de técnicas de queima e esmaltagem, o artista dá aos métodos tradicionais da cerâmica uma abordagem fresca e muito particular.

Comentários ({{ total }})

Fortes D’Aloia & Gabriel abre em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião