“Um terço dos telefones vendidos em Portugal são Huawei”, diz diretor comercial

  • Lusa
  • 21 Junho 2019

Diretor comercial da Huawei Portugal garante que, apesar de um ligeiramente abrandamento inicial, as vendas em Portugal não foram atingidas pela decisão de Trump de bloquear a marca.

O diretor comercial da área de consumo da Huawei Portugal, Tiago Flores, disse esta sexta-feira à Lusa que “um terço dos telefones vendidos em Portugal” são da fabricante chinesa, tendo registado um aumento de 25% das vendas registadas entre janeiro e junho.

“O primeiro semestre foi bastante positivo” para a venda de telemóveis da Huawei em Portugal, afirmou Tiago Flores. “Continuamos a crescer acima do mercado”, prosseguiu, apontando que o crescimento “ronda os 25%” nos primeiros seis meses deste ano, face a igual período do ano passado.

“Claramente um terço dos telefones vendidos em Portugal são Huawei”, salientou, apontando que a tecnológica chinesa reforçou a sua posição no mercado português “com a ajuda de mais portefólio e de equipamentos”.

De acordo com o responsável da área de consumo da Huawei Portugal, os portugueses mantêm a “confiança” na marca, apesar das restrições de que a multinacional tem sido alvo por parte dos Estados Unidos.

No mês passado, o Presidente norte-americano, Donald Trump, emitiu uma ordem executiva a proibir empresas do país de usarem equipamentos de telecomunicações de empresas estrangeiras consideradas de risco, uma medida que visa a China e a Huawei.

“Claramente este tema internacional veio colocar dúvidas aos consumidores numa primeira fase“, salientou Tiago Flores, apontando que aquilo que a Huawei fez logo de imediato em Portugal foi “comunicar com todos os parceiros” e dar-lhes a “informação correta desse mesmo impacto”.

Tiago Flores admitiu que os consumidores têm “muitas questões” sobre o impacto, nomeadamente sobre a atualização de aplicações nos seus telemóveis, mas a Huawei garante que não haverá qualquer impacto.

O responsável referiu ainda que, após o anúncio dos Estados Unidos relativamente à Huawei, assistiu-se em Portugal a um adiamento do processo de compra dos ‘smartphones’ da marca, mas esta situação já está invertida.

“Até final deste mês estaremos ao nível de ‘performance’ antes deste tema ter acontecido”, disse. “Mantém-se tudo na mesma, todas as aplicações [que estão nos telemóveis da Huawei] vão continuar”, garantiu Tiago Flores.

“Os consumidores podem estar perfeitamente descansados que todas as aplicações, inclusive da Google, vão continuar a funcionar nos seus telefones”, bem como todos os aspetos de segurança do sistema operativo Android, reiterou.

Este compromisso da marca que os consumidores não terão impacto também é alargado aos ‘tablets’ e computadores da Huawei.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Um terço dos telefones vendidos em Portugal são Huawei”, diz diretor comercial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião