CIMPAS aceita todos os riscos e litígios com mediadores

Em Junho passado o CIMPAS alargou a sua competência a todos os ramos de seguros e passou a poder arbitrar queixas de particulares e empresas contra mediadores e corretores.

O CIMPAS – Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros, associação privada tutelada pelo Ministério da Justiça, tem as suas competências alargadas desde o passado dia 1 de Junho.

Até essa data a mediação e arbitragem do Centro acontecia apenas nos ramos Automóvel, Multiriscos e Responsabilidade Civil, agora todos os ramos podem ser julgados, sempre com aceitação prévia e antecipada da decisão pelas partes em litígio, por este arbítrio voluntário cuja decisão é de igual valor ao de um juízo de 1ª instância.

Na mesma data também passou a ser possível ao CIMPAS arbitrar conflitos entre clientes – particulares ou empresas – com os seus mediadores ou corretores e não apenas, como até lá, entre os clientes finais e as seguradoras.

Rute Santos, diretora do Cimpas, em entrevista ao ECOSeguros - 17JUL19
Rute Santos, diretora geral do CIMPAS, “Cada caso é tratado como único”Hugo Amaral/ECO

 

O CIMPAS trata cerca de 3500 casos por ano mas, apesar do previsível aumento de reclamações, Rute Santos, diretora geral, afirma que vai manter-se a regra “de cada caso ser tratado como único”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CIMPAS aceita todos os riscos e litígios com mediadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião