Sindicato das Mercadorias reunido com Antram e o Governo

O Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias e a Antram entraram há momentos no ministério das Infraestruturas para negociarem com a mediação de Pedro Nuno Santos.

O Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM)e a Antram entraram há momentos no ministério das Infraestruturas para negociarem com a mediação de Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, sabe o ECO. O encontro acontece poucos minutos depois de Miguel Cabrita, secretário de Estado do Emprego, ter anunciado que o processo de mediação pedido pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas é inviável.

A presença do Sindicato Independente e da Antram no Ministério das Infraestruturas poderá indiciar que esta estrutura sindical estará disponível para levantar a greve e sentar-se à mesa com os patrões. Isto numa altura em que a Antram se recusa a negociar com o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) por estes não aceitarem levantar a greve iniciada a 12 de agosto. Ainda assim, o SNMMP pediu a intervenção do Governo no sentido de avançar com um processo de mediação que pusesse fim ao conflito que separa motoristas e patrões.

O SIMM é um dos dois sindicatos que convocaram a greve que começou na última segunda-feira por tempo indeterminado. A haver acordo, o mesmo deverá decretar a rutura entre as duas estruturas sindicais, cisão de que já havia sinais na semana passada. A 5 de agosto, tanto o SIMM como o SNMMP estiveram no ministério das Infraestruturas, mas em encontros separados com o ministro Pedro Nuno Santos

(Notícia atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sindicato das Mercadorias reunido com Antram e o Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião