Matos Fernandes apela ao fim da greve, mas Governo mantém-se disponível para aumentar serviços mínimos em caso de necessidade

Sábado foram cumpridos 123% dos serviços mínimos estipulados pelo Governo. País aguarda decisão do plenário dos motoristas de matérias perigosas marcado para este domingo.

Ao sétimo dia de greve, e enquanto o país aguarda o resultado do plenário convocado para este domingo à tarde pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas, o ministro do Ambiente e da Transição Energética (MATE) garante que “se consolida a ideia de normalidade”, com 123% dos serviços mínimos cumpridos no sábado, um valor que “traduz o número expressivo de trabalhadores que já não estão em greve”. Ainda assim, o Governo assegura estar disponível para promover o aumento dos serviços mínimos caso a atividade das empresas assim o exija, explicou João Pedro Matos Fernandes na já habitual conferência de imprensa para fazer o balanço da crise energética, transmitida pela TVI24.

“Estamos completamente atentos e disponíveis para o fazer [aumentar os serviços mínimos] caso aquilo que é hoje uma situação de normalidade deixe de ser uma situação de normalidade. A segunda quinzena de agosto começa amanhã. Um conjunto de empresas que estiveram encerradas vai começar a trabalhar na segunda [amanhã]”, dia que marca o efetivo arranque da segunda quinzena de agosto, lembra o governante. Caso esta situação se traduza num aumento do consumo de combustíveis, Matos Fernandes assegura que o Governo está preparado para aumentar a abrangência dos serviços mínimos decretados há duas semanas: “Estamos e estaremos sempre atentos às necessidades para ir mais além do que aquilo que fomos, convencidos de que não será necessário.”

"Estamos e estaremos sempre atentos às necessidades para ir mais além do que aquilo que fomos, convencidos de que não será necessário.”

João Pedro Matos Fernandes

Ministro do Ambiente e da Transição Energética

Em dia de plenário, o ministro do Ambiente apelou “às partes para um entendimento e para que a greve chegue ao fim”. Matos Fernandes sublinhou ainda a disponibilidade imediata do Executivo para reunir “já amanhã”, caso os trabalhadores deem sinais no plenário desta tarde que querem voltar às negociações.

Menos militares a conduzir camiões cisterna

Nas contas do ministro do Ambiente e da Transição Energética estavam previstos para sábado 256 transportes em todo o país “e foram executados 315”, enquanto para este domingo estão apenas planeados os transportes para abastecimento dos aeroportos de Lisboa e Faro, “como é normal só existe o abastecimento aos aeroportos, mesmo quando não há grave”. Assim, para o aeroporto de Faro foram cumpridos 10 dos 28 e para Lisboa, até às 11h30, “foram feitas 60% das viagens previstas”, um valor “muito superior ao de ontem”.

Com o aumento do cumprimento dos serviços mínimos por parte dos trabalhadores tem-se assistido a uma diminuição dos militares requisitados para efetuarem o transporte de combustíveis, sendo que desde a madrugada de hoje apenas três equipas das Forças Armadas realizaram os serviços entre Aveiras e Lisboa. Para a tarde deste domingo, e considerando a existência do plenário, Matos Fernandes diz existirem seis equipas preparadas para substituir os motoristas.

Por esta altura, há 48% de gasóleo nos postos de abastecimento comuns, e todas as unidades autónomas de gás estão abastecidas.

(Notícia atualizada às 13H00)

Comentários ({{ total }})

Matos Fernandes apela ao fim da greve, mas Governo mantém-se disponível para aumentar serviços mínimos em caso de necessidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião