Unbabel abre laboratório de inteligência artificial em Pittsburgh

  • Lusa
  • 19 Agosto 2019

Tecnológica portuguesa contratou Alon Lavie, ex-Amazon, para criar a nova equipa de inteligência artificial da Unbabel. Laboratório em Pittsburgh, Estados Unidos, é inaugurado em setembro.

A portuguesa Unbabel vai abrir em setembro um laboratório dedicado à inteligência artificial em Pittsburgh, Estados Unidos, que será liderado pelo norte-americano Alon Lavie, disse à Lusa o presidente executivo da empresa, Vasco Pedro.

Lavie deixou a Amazon, onde chefiava o Grupo de Tradução de Máquina, para criar a nova equipa de inteligência artificial da tecnológica portuguesa, que oferece uma solução de tradução automática com editores humanos e tem entre os clientes a Pinterest, Change.org, Skyscanner e Weebly.

A localização do novo escritório na Pensilvânia pretende alavancar a relação entre a Unbabel e a Universidade Carnegie Mellon (CMU), onde Alon Lavie é investigador no Instituto de Tecnologia da Linguagem.

Vasco Pedro referiu que Lavie “é um dos especialistas mundiais em tradução de máquina” e foi seu professor na CMU.

“A equipa, no início, vai-se focar mais em questões práticas e aplicações daquilo que estamos a fazer nos clientes corporativos”, explicou, “mas à medida que formos crescendo isso vai-nos dar mais capacidade para atacar outros problemas”.

A Unbabel está a recrutar para o escritório e tem duas vagas a tempo inteiro abertas em Pittsburgh, uma para engenheiro de investigação sénior e outra para cientista de investigação sénior.

“Gostávamos de permitir a veiculação de pessoas entre os escritórios, ajuda imenso na percepção das pessoas que estão lá e ao desenvolvimento da cultura”, adiantou Vasco Pedro, falando da mobilidade profissional entre as instalações de Lisboa, São Francisco, Nova Iorque e agora Pittsburgh. “É cada vez mais premente escalar a cultura”, acrescentou, sendo que a empresa tem neste momento cerca de 220 funcionários.

O presidente e fundador da empresa afirmou que aquilo que a Unbabel fez até agora “ainda é muito o início” daquilo que quer fazer e o laboratório ajudará a explorar cenários futuros mais ambiciosos.

“Nós queremos que um dia estejamos a ter uma conversa e seja irrelevante que língua um ou o outro estão a falar”, declarou. “Quero que um dia possa ter a minha conta de e-mail, WhatsApp, voz, e estar a comunicar com qualquer pessoa em qualquer lado sem ter problema de língua”, explicou.

Com uma nova plataforma interna para as empresas clientes em preparação, a Unbabel também está a testar sistemas para o futuro. “Uma das coisas que estamos a começar a trabalhar agora inclui o conceito de ‘voice morphing’ [transformação da voz]”, revelou, falando de um sistema que faz a tradução da fala para outra língua mas usando a voz do interlocutor original.

A Unbabel oferece tradução em 28 línguas com diversos pares possíveis, por exemplo português-inglês ou inglês-alemão, em que um sistema automatizado faz a tradução inicial e depois tradutores humanos editam e validam a qualidade dos textos.

“O problema da língua é altamente complexo com centenas de subproblemas”, descreveu Vasco Pedro, sublinhando que cada par-língua, tipo de conteúdo e aplicação determinam características próprias.

“Os seres humanos adaptam-se a essas circunstâncias, mas como é que conseguimos fazer isto em escala?”, disse.

A integração entre a inteligência artificial e os seres humanos é um dos focos do executivo, que acredita no potencial desta interação para melhorar atividades e processos.

O CEO da Unbabel é um dos oradores em destaque no Global Summit 2019 da Singularity University, com presença no painel “Solving Today’s Problems with AI” (Resolvendo os problemas de hoje com IA) esta terça-feira.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Unbabel abre laboratório de inteligência artificial em Pittsburgh

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião