Johnson & Johnson condenada a pagar multa de 572 milhões por contribuir para a crise dos opioides nos EUA

Numa decisão inédita e que abre um precedente, a Johnson & Johnson foi considerada culpada de contribuir para a crise de opioides nos EUA e vai ter de pagar uma multa de 572 milhões de dólares.

Numa decisão inédita, um tribunal norte-americano condenou a empresa Johnson & Johnson uma multa de 572 milhões de dólares por ter contribuído para a dependência de opioides no Estado de Oklahoma. A decisão abre um precedente que pode colocar as farmacêuticas norte-americanas em risco de pagar pesadas indemnizações.

Este foi o primeiro de mais de 2.000 de processos movidos pelas autoridades locais e estaduais a nível nacional contra empresas farmacêuticas a ser julgado, numas tentativa de responsabilizar estas empresas pelo sua quota-parte no alastramento de casos de dependência de drogas prescritas legalmente.

A empresa argumentava que não tem culpa na crise de saúde pública que existe no Estado, e que vendeu e publicitou os seus produtos de acordo com todos os requerimentos legais. A Johnson & Johnson disse que vai recorrer da decisão do juiz.

Neste Estado, entre 2007 e 2017, pelo menos 4.653 pessoas terão morrido devido a overdoses acidentais resultantes da ingerência de opioides prescritos pelos médicos.

A empresa não estava sozinha no processo, mas a Purdue Pharma e a Teva Pharmaceutical Industries chegaram a acordo para pagar uma multa de 270 e 85 milhões de dólares, respetivamente, para um fundo para a investigação desta crise.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Johnson & Johnson condenada a pagar multa de 572 milhões por contribuir para a crise dos opioides nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião