Nova sondagem coloca maioria absoluta ao alcance do PS. Consegue 42% das intenções de voto

  • ECO
  • 13 Setembro 2019

Socialistas obtêm 42% das intenções de voto numa sondagem do ICS e do ISCTE para o Expresso. É suficiente para a maioria absoluta, ao contrário do resultado das sondagens da Aximage e Intercampus.

O PS poderá chegar à maioria absoluta nas legislativas de outubro, aponta a sondagem do ICS/ISCTE, a terceira divulgada esta sexta-feira. Os socialistas conseguiram garantir 42% das intenções de voto, numa sondagem que os coloca 19 pontos percentuais à frente do PSD.

Os sociais-democratas obtiveram 23% das intenções de voto, na sondagem feita pelo ICS e o ISCTE para o Expresso (acesso condicionado) e a SIC, um valor que não mexeu desde as últimas projeções. Pelo contrário, o PS cresce, o que aumenta a diferença para o PSD e abre a porta para que os socialistas consigam garantir mais de 115 assentos no Parlamento, num total de 230.

Esta sondagem segue-se a outras duas conhecidas esta sexta-feira, 13 de setembro, que davam a vitória ao PS, mas que afastavam o cenário de maioria absoluta. As projeções da Aximage e da Intercampus colocavam as intenções de voto nos socialistas a rondar os 38%.

O Bloco de Esquerda e o PCP, por seu lado, caem, mas continuam a obter 9% e 6% das intenções de voto, respetivamente. Por outro lado, o CDS mantém os valores obtidos na última projeção do ICS e ISCTE, de 5%.

Também o PAN não regista mudanças na sondagem realizada entre a última semana de agosto e a primeira de setembro, um mês antes das eleições. O partido liderado por André Silva conquista 4% das intenções de voto.

(Notícia atualizada às 18h40)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova sondagem coloca maioria absoluta ao alcance do PS. Consegue 42% das intenções de voto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião