Continental compra fábrica de antenas inteligentes em Vila Real

A Continental adquiriu a Kathrein Automotive, sediada em Vila Real, que fabrica mais de 17 milhões de antenas por ano. Em 2018, faturou 65 milhões de euros.

A Continental adquiriu a Kathrein Automotive, empresas que já pertenceu à Bosch. A empresa, sediada em Vila Real, fabrica mais de 17 milhões de antenas por ano, com a quase totalidade a ser exportada.

A Kathrein Automotive, que emprega 550 pessoas, produziu mais de 17 milhões de antenas no ano passado, sendo 99% destas exportadas para todo o mundo. Faturou, no ano passado, 65 milhões de euros.

Com a aquisição desta empresa, a Continental “pretende expandir o portefólio de produtos, obtendo assim um conhecimento fundamental para o desenvolvimento de soluções de conectividade para veículos”, refere o grupo, em comunicado.

“A Continental Advanced Antenna pertence à divisão interior do grupo Continental, faz parte da unidade de negócio Body & Security e trabalha, essencialmente, com o segmento premium de marcas como o grupo Daimler, BMW, Audi, Volvo, entre outros gigantes do setor automóvel”, revela o grupo alemão, em comunicado.

O mercado das antenas para veículos é um negócio em crescimento. Estima-se que tenha um crescimento anual de aproximadamente 6,5% até 2022. As antenas inteligentes para veículos são o ponto de partida para a conectividade do futuro dentro e fora do automóvel e são uma das grandes apostas da Continental Advanced Antenna Portugal.

O grupo já detém a Continental Mabor, Continental Pneus, Continental Indústria Têxtil do Ave, Continental Lemmerz e Continental Teves. Com a aquisição desta fábrica trasmontana, a Continental passa a ter 3.400 colaboradores, só em Portugal. O “volume total de negócios ascendeu a 1,236 milhões de euros”, salienta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Continental compra fábrica de antenas inteligentes em Vila Real

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião