BRANDS' PESSOAS Como a diversidade e inclusão impactam no negócio das organizações?

  • BRANDS' PESSOAS
  • 23 Setembro 2019

Edivaldo João, EY Consultant, People Advisory Services e Marta Santos, EY Associate Partner, People Advisory Services falam de como a diversidade e inclusão impactam no negócio das organizações.

Atualmente, com a afirmação da globalização, com as transformações sociais e com a aceleração tecnológica, as organizações passaram a atuar num cenário mais amplo, no qual as tradicionais barreiras territoriais tornaram-se praticamente invisíveis.

Neste sentido, as organizações são obrigadas a redefinir os seus modelos de negócio, bem como os seus cenários de atuação.
Temos exemplos de empresas que possuem a sua sede no país X, produzem os seus produtos no país Y e comercializam os produtos no país Z.

Contudo, seja numa dimensão local ou internacional, a nova conjuntura do mercado faz com que as organizações passem a enfrentar desafios diversos, complexos e com soluções nunca antes encontradas. Desta forma, urge a necessidade de as organizações terem uma força de trabalho diversificada, com diferentes mindsets, recursos, formações académicas, experiências profissionais, pessoais e sociais, capaz de dar respostas aos desafios que a organização enfrenta.

É neste sentido que a Diversidade e Inclusão dos colaboradores tem vindo a conquistar espaço na “agenda das pessoas” das organizações.

 

De acordo com o relatório do Center for Talent Innovation (2013), as organizações que incorporam valores de Diversidade e Inclusão nas suas culturas tendem a ter mais 70% de chances de serem bem-sucedidas em novos mercados, mais 45 % de chances de aumentarem os eu valor de mercado, mais 57% de chances de melhorarem a colaboração entre as suas equipas e mais 19 % de chances de aumentarem os seus índices de retenção de talentos.

Adicionalmente, empresas como a IBM reconhecem que a criação de uma cultura organizacional, que valoriza a Diversidade e a Inclusão, tende a criar equipas mais coesas e colaborativas, a aumentar os níveis criatividade e inovação e cria equipas de trabalho multidisciplinares e eficazes.

Diversidade e Inclusão são conceitos que estão interligados, no entanto é importante realçar que não são a mesma coisa.

Enquanto a Diversidade diz respeito aos diferentes traços demográficos e culturais observáveis e não observáveis, no ambiente de trabalho (Diferenças), a Inclusão é a forma como fazemos esta mistura de traços funcionar, criando um ambiente no qual todas as pessoas têm um sentimento de pertença e de valorização, tornando-se capazes de alcançarem altos níveis de desempenho. Esta ideologia está expressa, por exemplo, na estratégia de Diversidade e Inclusão definida por empresas como a Johnson & Johnson.

A diversidade e a Inclusão vão muito além da diferenciação entre géneros. Na verdade, dizem respeito à criação de uma cultura organizacional na qual qualquer pessoa se sente valorizada, independentemente das suas diferenças. Além da diferenciação entre os aspetos biológicos (Raça, género, idade, etc..), a Diversidade e Inclusão também se refere à diferenciação entre os aspetos socioculturais (Religião, cultura etc…) e individuais (Formação, estilo de vida, experiências, preferências, ideologias, etc…). “Todos diferentes, todos iguais”!

Segundo a Forbes (2019), existem evidências que demonstram a importância crescente que as organizações têm atribuído à Diversidade e Inclusão, no entanto o número de empresas que incorporam valores de Diversidade e Inclusão nas suas estratégias ainda não é satisfatório. Menos ainda se considerarmos a implementação e a vivência real destes valores…

Empresas que estão no spotlight, como a Google, têm investido nas suas estratégias de diversidade e inclusão. No seu último relatório anual sobre a diversidade, a empresa apresenta alguns avanços, relativamente aos índices de diversidade, no entanto reconhece que ainda há muito por se fazer.

Perante tal desafio, as lideranças assumem um papel preponderante na implementação de qualquer iniciativa neste âmbito nas organizações. Os programas de Diversidade e Inclusão que não são apoiados pela liderança e pela estratégia da organização tendem a falhar.

As iniciativas de diversidade e inclusão devem começar na estratégia da organização e ser impulsionadas pelos seus líderes, que devem ser os primeiros a dar o exemplo em aspetos como:

  1. Possuir um mindset inclusivo;
  2. Reconhecer que existem várias formas de alcançar os objetivos propostos;
  3. Ser flexíveis com o que é diferente;
  4. Reconhecer as vantagens da Diversidade e Inclusão
  5. Agir como agente de mudança em direção a uma cultura mais diversificada e inclusiva;
  6. Tratar as pessoas de forma imparcial;
  7. Reconhecer a existência de preconceitos individuais e seus riscos.

Sendo a participação das lideranças vital para o sucesso de qualquer iniciativa de Diversidade e Inclusão, na verdade este tipo de iniciativa deve mobilizar e envolver todos os níveis da organização.

As evidências demonstram ainda que as organizações que incorporam valores de diversidade e inclusão nas suas estratégias tendem a ser mais criativas, mais inovadoras, mais abertas e apresentam equipas mais coesas, colaborativas e eficazes. Assim, tornam-se mais competitivas que os seus concorrentes.

Para alcançar estas metas, a estratégia da organização, a cultura organizacional e os seus líderes devem estar alinhados, de forma a serem capazes de mobilizar toda a organização em torno de uma verdadeira estratégia de Diversidade e Inclusão. Está preparado?

Comentários ({{ total }})

Como a diversidade e inclusão impactam no negócio das organizações?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião