Generali: Primeira seguradora europeia com obrigações verdes

  • ECO Seguros
  • 25 Setembro 2019

A seguradora italiana procura financiamentos adequados aos seus projetos em que a sustentabilidade é a principal linha da estratégia.

A Generali tornou-se na primeira seguradora europeia a emitir Obrigações “verdes” numa operação onde garantiu 750 milhões de euros que serão usados no financiamento de edifícios sustentáveis e entre os quais se encontra o projeto CityLife, de Milão, em que Generali Real Estate será a promotora e a Sonae Sierra fará o desenvolvimento e a gestão.

Torre Generali na City Life de Milão: Propriedade da seguradora, design da Zaha Ahdid Architects e gestão da Sonae Sierra.

O CFO da Generali, Cristiano Borean, citado no site da seguradora, afirma que a grande recetividade a esta emissão é uma prova “do facto de a sustentabilidade se ter tornado parte integrante da forma como a empresa faz o seu negócio”. A procura atingiu os 2,7 mil milhões de euros, 3,6 vezes mais do que a oferta.

A operação, liderada por sete bancos, e também o buyback de obrigações subordinadas, anunciada na mesma altura, enquadra-se numa estratégia de redução da sua dívida financeira.

De acordo com o CFO do grupo estas duas operações reduzirão a dívida do grupo em aproximadamente 250 milhões de euros e levarão a uma redução no custo de financiamento anual em cerca de 68 milhões de euros.

A Generali está presente em 50 países e gere mais de 66 mil milhões de euros em prémios. Fundada em 1831, em Itália, tem cerca de 71 mil colaboradores. Em julho comprou a Seguradoras Unidas, que integra a Tranquilidade, por 600 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Generali: Primeira seguradora europeia com obrigações verdes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião