Generali: Primeira seguradora europeia com obrigações verdes

  • ECO Seguros
  • 25 Setembro 2019

A seguradora italiana procura financiamentos adequados aos seus projetos em que a sustentabilidade é a principal linha da estratégia.

A Generali tornou-se na primeira seguradora europeia a emitir Obrigações “verdes” numa operação onde garantiu 750 milhões de euros que serão usados no financiamento de edifícios sustentáveis e entre os quais se encontra o projeto CityLife, de Milão, em que Generali Real Estate será a promotora e a Sonae Sierra fará o desenvolvimento e a gestão.

Torre Generali na City Life de Milão: Propriedade da seguradora, design da Zaha Ahdid Architects e gestão da Sonae Sierra.

O CFO da Generali, Cristiano Borean, citado no site da seguradora, afirma que a grande recetividade a esta emissão é uma prova “do facto de a sustentabilidade se ter tornado parte integrante da forma como a empresa faz o seu negócio”. A procura atingiu os 2,7 mil milhões de euros, 3,6 vezes mais do que a oferta.

A operação, liderada por sete bancos, e também o buyback de obrigações subordinadas, anunciada na mesma altura, enquadra-se numa estratégia de redução da sua dívida financeira.

De acordo com o CFO do grupo estas duas operações reduzirão a dívida do grupo em aproximadamente 250 milhões de euros e levarão a uma redução no custo de financiamento anual em cerca de 68 milhões de euros.

A Generali está presente em 50 países e gere mais de 66 mil milhões de euros em prémios. Fundada em 1831, em Itália, tem cerca de 71 mil colaboradores. Em julho comprou a Seguradoras Unidas, que integra a Tranquilidade, por 600 milhões de euros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Generali: Primeira seguradora europeia com obrigações verdes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião