Sindicatos de motoristas e patrões já chegaram a acordo

  • ECO
  • 15 Outubro 2019

O texto final da negociação entre a Antram e o Sindicato das Matérias Perigosas deverá ser assinado esta terça-feira.

Depois de ter fechado o processo negocial de revisão do contrato de trabalho com a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) chegou a acordo com o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

Já foi assinado com a Fectrans o texto final, na passada segunda-feira, e os motoristas de matérias perigosas assinaram esta terça-feira, avança o Público (acesso condicionado). Este prevê uma atualização da tabela salarial em 11,1% para os motoristas de pesados.

O acordo traz “aumentos salariais bastante significativos, especialmente no que toca a salvaguardar trabalhadores numa baixa medica, a reforma no futuro, porque é tudo tributável, estamos a falar de salários com descontos de 1.460 euros”, apontou Francisco São Bento presidente do SNMMP, à saída da reunião com Antram, em declarações transmitidas pelas televisões.

No texto são assim consolidados os pontos contidos no memorando de entendimento de 14 de agosto, que, para além da tabela salarial também atualiza “as principais cláusulas pecuniárias” em, pelo menos, 4%, segundo adiantou a Fectrans na passada segunda-feira.

O texto final será analisado pelos órgãos competentes das duas entidades no decorrer desta semana, nomeadamente pelos sócios da Antram, que têm marcado um congresso este fim de semana, e pela direção da Fectrans. “São os procedimentos normais, não deve de haver problemas”, apontou o coordenador geral da Fectrans, José Manuel Oliveira, ao diário.

Francisco São Bento adiantou que o acordo deverá ser assinado antes do final do mês. O Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias também irá reunir, em plenário, neste fim de semana, para discutir o acordo final que vai ser assinado com os representantes das empresas.

(Notícia atualizada às 13h00)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sindicatos de motoristas e patrões já chegaram a acordo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião