CDS-PP despede funcionários. Poderá encerrar instalações

  • ECO
  • 25 Outubro 2019

O CDS-PP despediu, nos últimos dias, funcionários na sede nacional e no gabinete de apoio ao grupo parlamentar na AR. Em causa está a redução da subvenção estatal e as contas do partido no vermelho.

O CDS-PP está a alertar as distritais e as concelhias para a necessidade de reduzir na despesa corrente e controlar as contas do partido, avança o Jornal Económico (acesso pago). Devido ao período de dificuldades financeiras, os centristas vão despedir vários funcionários e várias estruturas locais poderão mesmo encerrar as instalações que tem arrendadas atualmente.

Fonte do partido disse ao jornal, que, nos últimos dias, já houve rescisões de funcionários onde funcionam as estruturas distrital e concelhia de Lisboa e ainda no gabinete de apoio ao grupo parlamentar na Assembleia da República.

Em causa está a redução da subvenção estatal, pelo facto de os centristas terem reduzido o número de deputados na AR de 18 para cinco deputados, e as contas no vermelho com as dívidas a chegar “perto dos dois milhões de euros” este ano, disse a mesma fonte.

Entre os funcionários que estão de saída estão assessores, secretárias do partido e um motorista. Por outro lado, os trabalhadores que se mantêm em funções, na sede no Largo do Rato e no grupo parlamentar, sofrerão cortes salariais.

O líder da distrital do CDS de Lisboa, João Gonçalves Pereira, disse ao Jornal Económico que esta redução de gastos “é de bom senso” para equilibrar as contas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CDS-PP despede funcionários. Poderá encerrar instalações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião