CDS defende referendo em resposta à regionalização “às escondidas” de António Costa

  • Lusa
  • 4 Dezembro 2019

O CDS-PP defende um referendo à regionalização, em resposta ao que considera ser a proposta do primeiro-ministro, António Costa, para criar as regiões “às escondidas”.

O CDS-PP defende esta quarta-feira um referendo à regionalização, em resposta ao que considera ser a proposta do primeiro-ministro, António Costa, para criar as regiões “às escondidas”.

Esta posição vai ser assumida esta quarta-feira numa declaração política da líder parlamentar do CDS, Cecília Meireles, no parlamento, quatro dias depois de Costa ter afirmado, no congresso da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, no sábado, que a eleição das Comissões de Coordenação avança no início de 2020, “para criar no país a confiança necessária para os passos seguintes”, como a regionalização.

Para Cecília Meireles, o Governo “acha que se deve avançar para a regionalização”, e que “a melhor maneira de o fazer é às escondidas”, através da eleição das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR)”, segundo o discurso escrito que vai proferir, a que a Lusa teve acesso.

“Esta eleição é o primeiro passo para a regionalização. E a resposta deste parlamento deve ser também muito clara: regionalização só com referendo”, de acordo com a presidente da bancada dos centristas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CDS defende referendo em resposta à regionalização “às escondidas” de António Costa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião