BRANDS' PESSOAS Gestão de Talento, a prioridade das equipas de RH

  • BRANDS' PESSOAS
  • 10 Dezembro 2019

Numa era marcada pela profunda necessidade de gerir talento, torna-se imperativo encontrar alternativas e saber como tirar proveito dos recursos tecnológicos.

Embora não exista uma fórmula absoluta e inquestionável para desenvolver talento, a resposta pode estar na utilização de sistemas especializados. A verdade é que cabe à gestão de Recursos Humanos colocar a ênfase nas pessoas e desenvolver o seu talento. Para reduzir a taxa de rotatividade, é imperativo reconhecer a importância que a gestão de talento tem para a evolução e crescimento das empresas. Mais do que captar, é preciso saber como desenvolver, valorizar e gerir o capital humano. Não é à toa que profissionais valorizados são profissionais produtivos. Mais rentabilidade, melhores níveis de desempenho, maior dedicação, mais proatividade, mais resultados, são alguns exemplos daquilo que resulta de uma gestão de talento verdadeiramente efetiva.

Talento por lapidar?

Qualquer colaborador é dotado de competências inatas. Verdadeiros diamantes em bruto que, quando devidamente lapidados, podem potenciar a geração de valor nas empresas. Contudo, não basta apenas captar e reter talento, é crucial saber como desenvolvê-lo. Para isto, nada melhor do que identificar necessidades, realizando análises de desempenho regulares. Análises que devem ser fundamentadas em dados fidedignos, sem qualquer tipo de influência proveniente da visão (muitas vezes limitada) dos técnicos responsáveis.

Os sistemas de gestão são excelentes exemplos de aliados tecnológicos capazes de conferir produtividade e rentabilidade às empresas, especialmente no que respeita à gestão de pessoas. As equipas de RH podem, atualmente, contar com o apoio de sistemas inteligentes e flexíveis, desenhados para agilizar processos e otimizar a interação, incentivando a autonomia e a produtividade dos colaboradores. O segredo está em ir além do convencional. Apostar em soluções verdadeiramente capazes de gerar valor que, para além de tudo, podem auxiliar a identificar, de forma fácil e ágil, as necessidades de formação de cada colaborador.

Detetar dificuldades e investir na formação

Considerando que o talento está na capacidade inata para a concretização de determinado ofício, profissionais talentosos são ativos intangíveis que não têm limites para o aperfeiçoamento de competências. O crescimento profissional pode (e deve) ser contínuo. Os responsáveis da gestão de Recursos Humanos devem adotar uma abordagem sinérgica, onde a comunicação seja fluida, de forma a detetar dificuldades e investir na formação continuada dos colaboradores da empresa.

PRIMAVERA Business Analytics, um aliado na gestão estratégica de RH

Com uma ferramenta de Business Analytics (BA), poderá obter uma perspetiva global dos seus recursos, elevando o grau de conhecimento sobre cada pessoa que colabora para o bom funcionamento da organização. Com a solução PRIMAVERA Business Analytics rapidamente acede a análises sobre a distribuição de colaboradores por departamentos, habilitações literárias, distribuição das remunerações, acidentes de trabalho e custos associados, necessidades de formação, absentismo, entradas e saídas de pessoal; entre outros dados através dos quais facilmente identifica padrões.

Otimiza também a gestão dos custos com o pessoal através de dashboards com informação detalhada sobre o rácio de massa salarial, valor médio das despesas por colaborador, evolução do salário médio, o valor e evolução das ajudas de custo, a taxa de absentismo, entre outros dados que lhe permitem avaliar rapidamente a evolução e distribuição dos custos com pessoal.

A gestão de talento é um dos maiores desafios que os departamentos de RH enfrentam atualmente. Desenvolver pessoas e proporcionar-lhes as condições necessárias para que possam atingir níveis de desempenho elevados é o primeiro passo para a geração contínua de valor, nas organizações.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Gestão de Talento, a prioridade das equipas de RH

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião