Bankinter reforça oferta com seguros de crédito COSEC

  • ECO Seguros
  • 11 Dezembro 2019

O Bankinter acaba de reforçar as soluções oferecidas aos clientes empresariais da sua rede comercial com a disponibilização de coberturas da COSEC.

O Bankinter acaba de reforçar as soluções oferecidas aos clientes empresariais da sua rede comercial com a disponibilização de coberturas da COSEC, anunciou a sucursal do banco espanhol em Portugal.

A instituição assinou um protocolo de distribuição dos produtos da Companhia de Seguros de Crédito (COSEC), visando permitir às empresas “a gestão do risco de crédito em condições mais seguras, cobrindo os prejuízos decorrentes do não pagamento das vendas a crédito de bens e serviços em Portugal e no estrangeiro”, refere um comunicado do Bankinter Portugal.

Na foto (da esquerda para a direita): José Luís Vega, Diretor da Banca de Empresas e membro da Comissão Executiva do Bankinter, Maria Celeste Hagatong, presidente do Conselho de Administração da COSEC, Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal, e Ana Carvalho, administradora executiva da COSEC.

Citado no documento distribuído à imprensa, Alberto Ramos explica que a parceria “insere-se no compromisso assumido de apoio às empresas em Portugal, concretizada pela disponibilização das melhores soluções no mercado”. A associação com a COSEC (líder nos seguros de crédito em Portugal) “permite reforçar o posicionamento como especialistas no apoio ao negócio internacional, que é um dos vetores chave de crescimento da nossa atividade em Portugal para o segmento de empresas, combinando as competências de ambas as entidades”.

A parceria com a COSEC, que através deste acordo reforça igualmente a sua rede de distribuição de seguros de crédito, vem complementar a oferta do Bankinter para o segmento empresarial com vantagens importantes na relação com os seus clientes:

  • Apoio às empresas na melhoria da sua gestão financeira, através da cobertura do risco de não pagamento das vendas a crédito.
  • Possibilidade de os clientes acederem a melhores condições de financiamento, utilizando a apólice de Seguro como colateral para o Banco;
  • Apoio nas decisões estratégicas das empresas, suportado pelo know-how do Bankinter e das equipas de analistas de risco da COSEC, que têm acesso à maior e melhor base de dados privada nacional e que permite acompanhar diariamente a atividade de milhares de empresas em Portugal e em todo o mundo;
  • Identificação de novos mercados de exportação, beneficiando da ligação acionista da COSEC à Euler Hermes, líder mundial em seguro de créditos, com informação de mais de 40 milhões de empresas em todo o mundo.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bankinter reforça oferta com seguros de crédito COSEC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião