Secretária de Estado do Turismo quer melhorar linhas de financiamento

  • Lusa
  • 14 Dezembro 2019

A secretária de Estado do Turismo diz quer melhorar as linhas de financiamento no turismo, para que os empresários possam investir de uma "forma mais certeira e mais consequente".

A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, comprometeu-se este sábado, em São João da Pesqueira, “a melhorar” as linhas de financiamento para sejam mais “eficientes” e “alavanca” de investimento quer nacional e estrangeiro.

“Este é o primeiro compromisso que assumo, enquanto tutelar desta pasta. De facto, trabalharmos para podermos ter linhas de financiamento mais eficientes, mais efetivas e que possam alavancar o impacto que todos queremos na região”, afirmou Rita Marques, durante as comemorações do 18.º aniversário da classificação do Alto Douro Vinhateiro (ADV) pela UNESCO.

A governante disse que, desde 2015, foram aprovados 59 projetos na área do turismo, na área do Alto Douro Vinhateiro, num total de inventivo de 36 milhões de euros. “Mas a verdade é que, quando analisamos as taxas de execução destes projetos, muitos deles acabaram ou por não serem iniciados ou não ser terminados. O que nos leva de facto a crer que nem sempre, enfim, os recursos financeiros são a condição ‘sine qua non’ para que isto resulte”, referiu.

E continuou: “Ainda assim vamos ter que melhorar as nossas linhas de financiamento, de modo a garantir que o empresário, seja local ou estrangeiro, mas que tenha interesses sobre a região, possam investir de uma forma mais certeira e mais consequente de modo a criar aqui uma oferta em rede”.

O Norte foi o que mais cresceu em número de turistas, no entanto apenas 4,3% do total de hóspedes pernoitam no Alto Douro Vinhateiro. Rita Marques disse que é preciso “fazer mais e melhor”, pelo que defendeu a aposta num “turismo diferente, um turismo que não é de massas, um turismo de qualidade que cruze a cultura, os saberes, os produtos endógenos”.

A secretária de Estado destacou ainda o “papel fundamental das acessibilidades”, rodoviárias e ferroviárias, que permitam que o turista possa conhecer o Porto, mas “depois se desconcentre para outras geografias, nomeadamente para o Douro”.

“A questão das infraestruturas é um tema que merece total atenção e temos, de facto, saber explorar ainda mais este eixo, esta ponte com Castela e Leão, potenciado a linha do património Porto, Douro, Côa e Salamanca. É um potencial imenso, abraçar esta rede e podermos construir pontes de entrada e saída para este nosso Douro”, sublinhou.

Por fim, defendeu a dinamização de eventos como forma também de combater a sazonalidade no turismo. São João da Pesqueira, no distrito de Vila Real, é o concelho que mais área possui no ADV e foi o palco para as comemorações do aniversário do Património Mundial, classificado pela UNESCO em 2001.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Secretária de Estado do Turismo quer melhorar linhas de financiamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião