Portugueses gastam menos do que os europeus no turismo interno

Segundo o Eurostat, os europeus gastam em média 2.501 euros por habitante no que toca ao consumo interno do turismo. Portugal está ligeiramente abaixo desta métrica.

Na União Europeia, os gastos com o turismo dos residentes são quase o dobro dos feitos pelos visitantes estrangeiros. A Alemanha é quem mais puxa por esta estatística, com 287 mil milhões de euros investidos pelos alemães dentro do próprio país, seguida do Reino Unido e de França. Portugal está ligeiramente abaixo da média europeia, com a maior fatia a ser gasta pelos visitantes estrangeiros.

Segundo os dados divulgados pelo Eurostat referentes às contas Satélite do Turismo, o consumo do turismo interno os Estados-membros ascendeu a 1.276 mil milhões de euros. A Alemanha regista o montante mais elevado (287 mil milhões de euros), o que representa cerca de 85% da fatia total dos gastos feitos pelos turistas. Depois dos alemães, surgem os britânicos e franceses que gastaram, ambos, 188 mil milhões. Já os portugueses gastaram cerca de 23 mil milhões.

Consumo interno e consumo externo do turismo

Fonte: EurostatFonte: Eurostat

Mas quando a comparação é feita tendo em conta o PIB de cada país, Portugal surge ligeiramente abaixo da UE, com gastos ligeiramente superiores a dois mil euros por habitante. A média europeia é de 2.501 euros per capita.

Consumo Interno do turismo per capita

Fonte: EurostatFonte: Eurostat

Ao mesmo tempo, a Alemanha e a Áustria são os países que registam um valor superior no que toca ao consumo interno por habitante, com 5.000 e 4.600 euros, respetivamente. Em destaque estão ainda os alemães (3.500 euros), suecos (3.200 euros) e dinamarqueses (3.000 euros). Em contraciclo, e com a menor fatia alocada, estão os polacos que gastam em média apenas 381 euros.

No entanto, estas conclusões do gabinete de estatísticas europeu referentes ao consumo interno do turismo dos Estados-membros da UE utilizam dados de dfiferentes anos, variando entre 2016 e 2018.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses gastam menos do que os europeus no turismo interno

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião