Banco Best integra chatbot que vende seguros

  • ECO Seguros
  • 15 Dezembro 2019

O Banco Best iniciou a venda de seguros para portáteis, telemóveis e tablets através de um chatbot disponível no site do banco e acessível também através do Messenger do Facebook.

Com um novo chatbot, criado pela insurtech Simplesurance, como facilidade, o cliente do Best pode colocar as mais diversas questões e subscrever o seguro que pretende de forma 100% digital.

A BEA, como prefere ser tratada a nova Best Electronic Assistant, é capaz de, em poucos minutos, vender a preços competitivos uma apólice a quem quiser segurar o laptop, smartphone ou tablet.

«A BEA ajuda», titula a caixa de diálogo com o assistente virtual. Iniciada a conversação, o ‘chatbot’ faz perguntas sobre o dispositivo que será objeto das coberturas e apresenta uma simulação on-line para o seguro pretendido. Concluída a compra, a plataforma que integra o ‘chatbot’ envia o certificado de seguro para o cliente.

“Com o Banco Best, temos um forte parceiro de tecnologia do setor financeiro ao nosso lado, que consegue criar uma jornada para o cliente com o nosso produto exclusivo para o cliente.”, realça Robin von Hein CEO e fundador da insurtech alemã.

Por seu lado, no mesmo comunicado, António Martins, diretor de marketing do Banco Best, afirma: “A parceria com a Simplesurance dá-nos uma clara vantagem de mercado sobre os nossos concorrentes. (…) O chatbot da BEA, ativo 24 horas por dia na nossa página inicial e no Facebook Messenger, garante aos clientes acesso fácil e direto aos produtos de seguros”.

Através de uma interface inteligente de aplicações (API, no acrónimo em inglês), suportado pelas mais recentes tecnologias em Inteligência Artificial com Linguagem de Processamento Natural (NPL), a Simplesurance consegue executar todos os processos em tempo real, sendo uma das primeiras tecnológicas a oferecer uma solução completa para contratualização de seguro através de um chatbot.

Para este projeto, o Banco Best, protagonista no setor banking online em Portugal, desenvolveu a integração da API (Application Programming Interface) em conjunto com o Simplesurance na plataforma de chatbot Visor.ai.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco Best integra chatbot que vende seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião