BRANDS' PESSOAS O Impacto da Transformação Digital na Gestão de Pessoas

  • BRANDS' PESSOAS
  • 16 Dezembro 2019

Joana Gonçalves Rebelo, EY Manager, e Ana Luísa Antunes EY Consultant, People Advisory Services falam sobre as vantagens de ter ferramentas para trabalhar remotamente.

Em termos de comunicação, a transformação digital permitiu introduzir um leque variado de ferramentas através das quais trabalhadores remotos, freelancers e colaboradores “tradicionais” podem conectar-se em tempo real, contribuindo para a destruição das barreiras geográficas que se impunham há décadas atrás. Atualmente, a nossa pool de talento pode ser o mundo inteiro!

A função de RH, que era tradicionalmente focada na gestão administrativa, detém cada vez mais uma crescente responsabilidade no aumento do desempenho global da Organização, participando e colaborando ativamente como um verdadeiro parceiro do negócio.

A transformação digital tem vindo a acelerar essa tendência, causando um impacto profundo nas empresas e nos departamentos de gestão de pessoas. Da forma como a informação é movimentada e armazenada, ao modo como os novos talentos são recrutados, várias são as áreas de atuação que se tornaram mais eficientes e produtivas.

A partir de aplicações móveis, videoconferências ou até redes sociais próprias da empresa, tornou-se possível participar numa reunião sem se estar fisicamente presente, receber mensagens de forma instantânea e alocar e gerir tarefas em tempo real.

Por outro lado, através da automatização de processos, a transformação digital veio permitir potenciar a produtividade das equipas. Esta tendência tem vindo a ocupar um lugar cada vez mais importante nos departamentos de gestão de pessoas, na medida em que liberta os colaboradores de tarefas de baixo valor acrescentado, standardizadas e repetitivas (relacionadas, por exemplo, com o processamento salarial, gestão de ausências, tarefas da gestão de desempenho etc.), e permite que estes se foquem em áreas mais complexas de tomada de decisão e planeamento estratégico.

Uma das potenciais utilizações da automatização consiste na possibilidade de identificar, fazendo uso de Big Data e da Inteligência Artificial, os melhores talentos para uma determinada função, mas também identificar as áreas em que cada colaborador poderá acrescentar maior valor.

Adicionalmente, com o advento de um mundo de trabalho mais digital, surgiu também a necessidade de desenvolvimento de competências digitais (técnicas e comportamentais), essenciais para que tanto as empresas como as pessoas possam acompanhar o ritmo acelerado desta nova realidade. Competências relacionadas com o Marketing Digital, o pensamento crítico, a pesquisa e a análise de dados, segurança e privacidade, utilização de plataformas e ferramentas digitais, o desenvolvimento de lideranças colaborativas e digitais e a capacidade de adaptação têm vindo a ganhar relevância no mercado de trabalho.

As novidades que surgem com a transformação digital não se refletem apenas na forma como as empresas recrutam e desenvolvem talento, mas também na forma como as diferentes áreas, e também os departamentos de Recursos Humanos, exercem as suas funções.

Há muito que as folhas de Excel ou os formulários em papel deixaram de ser a norma, dando lugar a sistemas de gestão integrados e a ferramentas que permitem quantificar, por exemplo, o custo da perda de um talento ou o nível de rotatividade dos funcionários de forma rápida e confiável.

Neste contexto, ao influenciar a forma como a força de trabalho comunica, como os processos são melhorados e como os talentos são captados, a transformação digital veio também impactar a própria experiência de trabalho dos colaboradores, possibilitando, por exemplo, um acesso a informação em tempo real e em qualquer lugar, o trabalho remoto, o aumento da produtividade, ou a participação em projetos com equipas globais.

Torna-se, desta forma, e cada vez mais, evidente que a transformação digital é já uma realidade e parte integrante da estratégia das empresas, transformando não só a forma como se trabalha, mas também como é feita a gestão de pessoas dentro de uma Organização, e trazendo consigo inúmeros benefícios, mas também vários desafios, que devem ser geridos de forma ágil e clara.

A Transformação Digital passou de uma opção de gestão para um imperativo de sobrevivência.

Na sua empresa, qual é o impacto da transformação digital?

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc), por favor clique aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

O Impacto da Transformação Digital na Gestão de Pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião