“Governo manterá sempre compromisso com contas certas”, com ou sem Centeno

  • Lusa
  • 20 Dezembro 2019

A linha das contas certas “é uma linha que é comum a todo o Governo e que se manterá, naturalmente, sempre”, diz Tiago Antunes, secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro.

O secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro afirmou que “a política orçamental e a linha das contas certas” é “comum a todo o Governo” e irá manter-se “sempre”, com ou sem Mário Centeno como ministro das Finanças.

“A política orçamental e a linha das contas certas é a linha do Governo e, portanto, este Governo manterá sempre esse compromisso com as contas certas”, afirmou Tiago Antunes, em entrevista à Lusa, quando questionado se, no caso de uma eventual saída de Mário Centeno do cargo de ministro das Finanças, haveria alterações significativas na condução da política orçamental e se o Governo manteria a mesma linha de “contas certas”.

O diretor do Gabinete de Estudos do Fórum para a Competitividade, Pedro Braz Teixeira, afirmou na quarta-feira que a eventual alteração do ministro das Finanças durante a atual legislatura pode traduzir-se em “alterações significativas na condução da política orçamental”.

“Uma alteração do ministro [das Finanças] pode significar alterações significativas na condução da política orçamental, tanto mais que tem havido uma cativação fortíssima das despesas” que o próximo ministro pode não conseguir manter, disse Pedro Braz Teixeira, numa conferência em Lisboa.

Na entrevista à Lusa, o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro frisou que a linha das contas certas “é uma linha que é comum a todo o Governo e que se manterá, naturalmente, sempre”.

Tiago Antunes acrescentou que aquele compromisso “não é pelas contas certas como um fim em si mesmo”, mas pelo que garante ao nível da sustentabilidade das políticas públicas, sustentabilidade do Estado Social e “disponibilidade financeira para depois investir mais no Serviço Nacional de Saúde, na Segurança Social, no combate à pobreza, designadamente dos mais idosos”.

Questionado sobre a divergência tornada pública na última reunião europeia, entre o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, o governante respondeu que “é preciso ver que papel é que cada um destes intervenientes desempenha na Europa”.

“No Conselho Europeu, o primeiro-ministro está a representar os interesses de Portugal e Mário Centeno não está lá enquanto ministro das Finanças de Portugal, mas enquanto presidente do Eurogrupo que representa o interesse global e o compromisso que foi possível alcançar no Eurogrupo”, disse Tiago Antunes.

O secretário de Estado prosseguiu que o compromisso alcançado no Eurogrupo “não satisfaz inteiramente a pretensão portuguesa”.

“O presidente do Eurogrupo apresentou o resultado dessa negociação e o primeiro-ministro de Portugal, em representação do seu país, explicou que Portugal não seria ainda totalmente refletido nessa proposta e pretendia melhorá-lo. Não tem qualquer drama, portanto”, salientou Tiago Antunes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Governo manterá sempre compromisso com contas certas”, com ou sem Centeno

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião