Depois da Elsa, o Fabien. Nova depressão chega ao continente até sábado

  • Lusa
  • 19 Dezembro 2019

Norte e o Centro serão no sábado as zonas do país mais afetadas pela depressão Fabien, estando previstos intensos períodos de chuva e fortes rajadas de vento.

O Norte e o Centro serão no sábado as zonas do país mais afetadas pela depressão Fabien, estando previstos intensos períodos de chuva e fortes rajadas de vento, informou esta quinta-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em comunicado, o IPMA explica que os efeitos desta nova depressão irão fazer-se sentir a partir da manhã de sábado, “com períodos de chuva forte nas regiões do Norte e Centro”.

A nota refere ainda que haverá “vento forte de sudoeste”, prevendo-se que as rajadas atinjam valores de 90 quilómetros por hora no litoral norte e centro e 120 quilómetros por hora nas terras altas.

“A agitação marítima associada ao Fabien irá também fazer-se sentir na costa ocidental, em especial no litoral norte”, acrescenta a nota.

Contudo, prevê-se que os efeitos da depressão Fabien não apresentem em Portugal continental a mesma intensidade do que os da tempestade Elsa, “em particular em termos de vento e com mais significado em termos de precipitação”.

“Prevê-se que a agitação marítima seja mais forte no litoral norte do que a que foi gerada pela depressão Elsa, sendo menos forte no restante litoral oeste e com impacto reduzido no litoral sul”, indica o IPMA.

Em declarações esta tarde à Lusa, fonte do IPMA adiantou que a situação de vento muito forte ainda tem tendência para se agravar um pouco, principalmente na região Sul, até cerca da meia-noite de hoje, devido à depressão Elsa, começando depois “a diminuir gradualmente de intensidade” durante a madrugada de sexta-feira.

De acordo com o IPMA, depois da depressão Elsa, o estado do tempo vai melhorar na sexta-feira, embora permaneçam o vento e a chuva forte na região sul, mas o tempo vai voltar a sofrer um agravamento no sábado, devido à depressão Fabien.

Para sábado o IPMA colocou avisos de nível amarelo para o vento e agitação marítima, mas é provável que passem para laranja, o segundo mais grave da escala, em alguns distritos.

Estas depressões que atingem a península Ibérica estão a provocar o vento muito forte que se faz sentir em Portugal e Espanha desde quinta-feira à noite.

O IPMA prevê uma melhoria gradual do estado do tempo a partir de domingo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois da Elsa, o Fabien. Nova depressão chega ao continente até sábado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião