Todas as ligações fluviais em Lisboa estão suspensas. Depressão Elsa já fez dois mortos

O temporal provocado pela depressão Elsa está a provocar vários danos um pouco por todo o país. No Montijo, a queda de uma árvore fez um morto. Em Castro Daire uma casa caiu e fez a 2.ª vítima mortal.

O temporal provocado pela depressão Elsa está a criar fortes constrangimentos nos transportes na região de Lisboa e já provocou dois mortos. Os problemas afetam as ligações fluviais pelo Tejo e os comboios, incluindo a circulação na Ponte 25 de Abril via Fertagus. Nas plataformas eletrónicas, os preços chegam a duplicar.

O mau tempo não dá tréguas e está a causar danos um pouco por todo o país. No Montijo, a queda de uma árvore matou esta quinta-feira um condutor de um veículo pesado, confirmou a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil à RTP. Mais a norte, em Codeçais, no conselho de Castro Daire (distrito de Viseu), outra pessoa morreu na sequência do desabamento de uma habitação, avança o Observador.

Ao final do dia desta quinta-feira, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) dava conta ainda de cinquenta e uma pessoas desalojadas no continente português na sequência do mau tempo, contabilizando cerca de 4.200 ocorrências desde as 15:00 de quarta-feira. As ocorrências referem-se sobretudo a inundações e quedas de árvores, com o distrito do Porto a ser o mais atingido.

Em Lisboa, na zona da Estrela, a queda de uma árvore também danificou uma habitação, avança a Sic Notícias. O mau tempo provocou ainda danos no exterior do edifício do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, em Lisboa. Os estragos estão ainda a ser avaliados.

A depressão Elsa não está a dar descanso também aos transportes públicos, ferrovia e rodovia. Todas as ligações fluviais estão suspensas em Lisboa, na Ponte 25 de Abril a circulação encontra-se limitada e proibida a circulação aos veículos pesados de mercadorias com lona e de ciclomotores.

“Informamos que foi limitada a circulação de comboios na Ponte 25 de Abril, adotando-se o itinerário de comboio pesado, em virtude dos ventos fortes que se registam (rajadas de 70 Km/h). Em consequência, a circulação na ponte é feita alternadamente, o que irá provocar atrasos em toda a circulação”, lê-se num aviso enviado pela Fertagus aos clientes, através da aplicação da empresa.

Além disso, a circulação de veículos pesados de mercadorias com lona e de ciclomotores foi proibida pelas 18h00 desta quinta-feira. “Está interditada a circulação de veículos pesados de mercadorias com lona, assim como ciclomotores na Ponte 25 de Abril [que liga Lisboa a Almada, no distrito de Setúbal]”, afirmou à Lusa o comandante Rui Laranjeira, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Ao mesmo tempo, as ligações fluviais entre o Terreiro do Paço e a Margem Sul também estão suspensas, de acordo com a SIC Notícias. O site do operador de transporte está offline devido ao elevado fluxo de acessos. E a ligação entre Cacilhas, em Almada, e o Cais do Sodré também já foi interrompida, de acordo com a RTP, até se verificar uma melhoria do Estado do tempo.

Na Figueira da Foz, a circulação na ponte sobre o rio Mondego está deste esta tarde proibida veículos pesados de mercadorias sem carga e motociclos, devido ao vento, disseram fontes da autarquia e da proteção civil municipal, avança Lusa.

A CP também está a enfrentar complicações. De acordo com a TSF, a circulação na linha da Beira Baixa foi interrompida, devido a um possível deslizamento de terras.

No que toca ao transporte aéreo, o mau tempo levou ao cancelamento de oito voos da companhia aérea açoriana SATA, sendo quatro ligações inter-ilhas e quatro do arquipélago com o exterior, afetando cerca de 1000 passageiros, avançou à Lusa o porta-voz da companhia.

Da Azores Airlines, que opera de e para fora do arquipélago, foram canceladas as ligações Boston/Terceira (divergiu para o Porto), Terceira/Porto, Lisboa/Horta, Lisboa/Santa Maria/Ponta Delgada.

Já da SATA Air Açores, que opera entre as ilhas do arquipélago, foram afetadas as ligações entre Graciosa/Terceira (divergiu para Ponta Delgada) Horta/Flores/Horta, Terceira/Flores/Terceira e Terceira/Graciosa.

Entretanto, a ANA – Aeroportos de Portugal aconselhou os passageiros a verificarem a situação dos seus voos junto das companhias aéreas antes de irem para o aeroporto de Lisboa, porque pode haver atrasos devido ao mau tempo.

Um pouco por todo o país há ruas inundadas e são esperadas rajadas de vento de 140 Km/hora.

Uber custa duas vezes mais

Lisboa a Portela por 40 euros na Uber. O valor é muito superior ao preço cobrado num dia “normal”.

De Santos à Gare do Oriente, à hora de publicação deste artigo, o preço cobrado aos clientes era de 23,94 euros, um custo que está a ser inflacionado pelas tarifas dinâmicas, ativadas pela elevada procura. Para a Portela, o preço chega perto dos 40 euros quando, normalmente, pode custar entre 12 a 14 euros. A Bolt, concorrente da Uber, também indica na aplicação que “os preços subiram devido à elevada procura”.

O ECO confirmou que, em alguns casos, nas plataformas eletrónicas, os preços pedidos são duas vezes superiores ao normal.

(Notícia em atualização)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Todas as ligações fluviais em Lisboa estão suspensas. Depressão Elsa já fez dois mortos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião