Agricultores pedem apoio urgente por estragos das intempéries e queixam-se de seguros inadequados

  • ECO Seguros
  • 7 Janeiro 2020

A Associação de Agricultores e Pastores do Norte (APT) pediu apoio urgente ao Governo para remediar estragos de intempéries recentes, apontando ainda que a oferta de seguros disponíveis é inadequada.

A Associação de Agricultores e Pastores do Norte (APT) pediu apoio financeiro urgente ao Governo para remediar estragos de intempéries recentes, apontando ainda que a oferta de seguros disponíveis é inadequada para a tipologia das explorações.

A APT reclamou junto do Ministério da Agricultura já esta semana o “levantamento urgente” dos estragos causados pela intempérie de dezembro em estufas, no distrito de Vila Real, e apoios “a fundo perdido”.

Fonte da assessoria do Ministério da Agricultura disse que está a ser feito o levantamento dos estragos causados pelo mau tempo na região Norte e que, só depois, serão decididos os apoios a atribuir aos produtores afetados, informou a agência Lusa.

A APT disse, em comunicado, que, entre os dias 19 e 22 de dezembro, as depressões Elsa e Fabien deixaram “um rasto de destruição” em estufas dos concelhos de Alijó, Boticas, Chaves, Montalegre, Murça, Sabrosa, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real.

A organização associada da Confederação Nacional de Agricultura (CNA) referiu que, “numa primeira avaliação, só em destruição de plásticos e reparação de estruturas, os prejuízos poderão ascender a mais de 220 mil euros”.

Os agricultores afetados reclamam, por isso, o “levantamento urgente dos prejuízos” por parte da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN)” e solicitaram uma reunião com caráter de urgência com a diretora da DRAPN.

Reivindicaram ainda que o Governo, perante esta “situação dramática”, “adote medidas de caráter financeiro a fundo perdido, capazes de minimizar os prejuízos”.

Os produtores queixam-se de uma “certa inação inicial dos serviços regionais do Ministério da Agricultura na avaliação global dos prejuízos ‘in loco’, condicionando desta forma a limpeza dos terrenos, a preparação de novas culturas ou a reposição das estruturas danificadas”.

Modelo de seguro agrícola inadequado à tipologia das explorações

A associação realçou ainda a “apreensão” dos produtores por causa das “inusitadas intempéries a que têm sido fortemente sujeitos” e referiu que o “modelo de seguro agrícola existente não se adequa à tipologia destas produções”.

De acordo com a APT, “os poucos exemplos de seguros outrora efetuados estão em processo de contencioso por falta de entendimento das partes”.

A APT alertou para os estragos causados em “estufas recém instaladas” e “enquadradas em projetos de jovens agricultores que estão na fase inicial de projetos e com encargos financeiros avultados”, considerando que poderá estar “eminentemente comprometida a sua viabilidade económica caso o Governo não venha a apoiar”.

Segundo dados da Autoridade Nacional de Proteção Civil, recolhidos entre quinta-feira e domingo (última semana antes do Natal), contabilizaram-se mais de 620 ocorrências no distrito de Vila Real devido à chuva e vento forte.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Agricultores pedem apoio urgente por estragos das intempéries e queixam-se de seguros inadequados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião