Mercedes prevê que um em cada três carros vendidos este ano seja eletrificado

Fabricante vendeu mais no ano passado. Foi a terceira nas vendas no mercado nacional, querendo crescer em 2020 à custa da eletrificação.

A Mercedes-Benz vendeu mais carros no ano passado, mantendo-se no pódio das vendas no mercado nacional. Foi terceira no ranking global, liderando no segmento premium, e quer continuar a acelerar com os portugueses, seja a gasolina ou a diesel, cada vez com mais energia. Prevê que este ano, em cada três carros vendidos um seja elétrico ou híbrido.

A marca da estrela colocou nas estradas nacionais 16.561 automóveis no ano passado. Cresceu 0,6%, ficando apenas atrás da Peugeot e da líder Renault, conseguindo uma quota de 7,5% do mercado. Muito deste crescimento foi conseguido à custa do sucesso do Classe A, modelo que representou, 42% das vendas em 2019. Foi mesmo o segundo modelo mais vendido em Portugal.

“Foi um ano extremamente positivo para a marca”, diz Nuno Mendonça, diretor-geral de vendas e marketing da Mercedes-Benz Portugal. Tirando partido do crescimento passado, mas também do cada vez melhor posicionamento da marca junto dos consumidores nacionais, a expectativa é de que 2020 possa ser um ano de continuação desta tendência, suportada em novos modelos, mas também novas tecnologias.

Serão lançados mais modelos compactos, os que têm maior peso nas vendas da Mercedes-Benz em Portugal. Exemplo disso serão o GLA ou o GLB, além de atualizações do Classe E e um novo Classe S, o topo de gama, a tempo do Natal. Todos estes modelos, bem como os atuais, com ofertas convencionais, mas também com recurso a baterias. É nesse sentido que Pierre-Emmanuel Chartier, CEO da Mercedes-Benz Portugal, antecipa que um em cada três modelos vendidos terá algum tipo de eletrificação. Em 2019, 7,5% dos modelos vendidos estavam eletrificados.

“Queremos estabelecer a EQ como uma referência na mobilidade elétrica”, diz o responsável pela marca no mercado nacional na apresentação de resultados de 2019, em Alcabideche, Cascais. Haverá, para alcançar essa meta, uma oferta de 20 modelos eletrificados. A marca contará com quatro modelos totalmente elétricos (EQ), 20 híbridos (EQ Power) e 90 com recurso a uma bateria de 48 volts (EQ Boost).

A ideia da Mercedes é liderar as vendas nos carros eletrificados, apostando forte nesse sentido já em 2020, ano em que a sua outra marca, a Smart, passou a vender apenas modelos elétricos. Foi a primeira marca a acabar com motores a combustão, isto depois de um ano em que foram vendidos 4.072 destes veículos (90% foram a gasolina). Foi o melhor resultado de sempre da Smart em Portugal, mas também a nível mundial, igualando Itália.

Eletrificação e digitalização

A eletrificação é uma aposta forte da marca germânica. Mas a digitalização também, procurando chegar mais perto de novos públicos, mas também transformando a experiência dos seus clientes. Neste sentido, está a nascer em Portugal, assim como no resto dos países em que Mercedes está presente, um novo conceito de showroom.

O primeiro deste novo conceito vai ser inaugurado em breve, em Cascais, com a CSantos VP, mas os planos da marca preveem que mais 20 se juntem em todo o país até ao final de 2021, sendo o investimento total da marca e dos concessionários de 40 milhões de euros. Nestes novos showroom, de arquitetura moderna, o cliente contará com os modelos mais recentes da fabricante, mas terá uma experiência 2.0, sendo confrontado com uma multiplicidade de ecrãs.

Também os colaboradores da Mercedes vão passar a estar equipados com tablets para procurar dar resposta às necessidades do cliente, seja um novo cliente, a procura de um veículo, seja um dono de um Mercedes que procura o serviço de pós-venda da fabricante. E são muitos. No ano passado, foram assistidos 145 mil veículos na rede da Mercedes, aumentado as receitas neste negócio.

Comentários ({{ total }})

Mercedes prevê que um em cada três carros vendidos este ano seja eletrificado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião