Trump entre os 50 dirigentes políticos esperados em Davos

  • Lusa
  • 14 Janeiro 2020

A lista de figuras que vão marcar presença no Fórum Económico Mundial de Davos inclui Donald Trump, a ativista sueca Greta Thunberg, o vice-primeiro-ministro chinês e a chanceler alemã Angela Merkel.

Cerca de 50 chefes de Estado e de Governo devem deslocar-se na próxima semana ao Fórum Económico Mundial de Davos, incluindo o Presidente norte-americano, Donald Trump, enquanto o chefe da diplomacia iraniana cancelou a sua presença.

Estes dirigentes mundiais fazem parte dos cerca de 2.800 participantes na 50.ª edição do Fórum de Davos, que decorre entre 21 e 24 de janeiro, com a estância suíça a ser mais uma vez alvo de fortes medidas de segurança.

Uma outra convidada do evento é a jovem ativista sueca Greta Thunberg que em Davos será a principal oradora de um debate sobre a luta contra as alterações climáticas. Alguns dias antes, na próxima sexta-feira, a ativista sueca participa numa manifestação em Lausanne.

Entre os chefes de Estado e de Governo esperados em Davos figuram o vice-primeiro-ministro chinês Han Zheng, a chanceler alemã, Angela Merkel, o Presidente ucraniano, Volodomyr Zelensky, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sanchez e o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan.

O Presidente dos Estados Unidos, que regressa a Davos depois de ali ter estado em 2017, estará acompanhado pela filha, Ivanka Trump, e pelo genro, Jared Kushner, ambos seus conselheiros. O secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, o ministro do Comércio, Wilbur Ross, e o representante para o Comércio, Robert Lighthizer, fazem igualmente parte da delegação.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, não vai estar em Davos, mas o príncipe Carlos é esperado na conferência.

O chefe da diplomacia iraniana, Mohammad Javad Zarif, que inicialmente era aguardado, não vai participar nos debates, numa altura em que permanece a tensão entre os Estados Unidos e o Irão, após a crise provocada pela morte do general iraniano Qassem Soleimani, morto num ataque norte-americano.

As empresas que estarão representadas neste evento através dos seus principais executivos geram cerca de 70% do volume de negócios a nível mundial. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, fará um discurso especial, antes da abertura da reunião, para marcar os 50 anos de existência do Fórum de Davos, cuja primeira edição remonta a 1971.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump entre os 50 dirigentes políticos esperados em Davos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião