Franceses da Ardian compram portuguesa Frulact

  • ECO
  • 15 Janeiro 2020

A Ardian, uma das principais sociedades de investimento a nível mundial, adquiriu a portuguesa Frulact, fabricante de ingredientes naturais para a indústria alimentar e de bebidas.

A portuguesa Frulact, fabricante de ingredientes naturais para a indústria alimentar e de bebidas, foi comprada pela Ardian, sociedade de investimentos com sede em França. No comunicado, não é revelado o valor desta transação.

Sediada no Porto, a Frulact conta atualmente com mais de 750 trabalhadores, operando em nove unidades industriais na Europa, África e América do Norte. Esta empresa portuguesa vende os seus produtos em mais de 40 países e regista “um volume de negócios perto de 115 milhões de euros”. “Fundada em 1987 pela família Miranda e liderada por João Miranda, [a Frulact] tem um histórico robusto de crescimento baseado em evolução orgânica e aquisições criteriosas”, salienta o comunicado divulgado, esta quarta-feira.

Com esta aquisição, a Ardian pretende agora apoiar a equipa de gestão da Frulact para “acelerar o plano estratégico e consolidar a posição do grupo como um dos líderes globais na indústria alimentar, apoiando as atividades já em curso”.

A propósito, na nota distribuída pela imprensa, é assegurado que a Ardian “confiará na atual equipa de gestão” da empresa portuguesa para desenvolver o projeto, ficando João Miranda (atual CEO da companhia) como presidente não-executivo do grupo.

Estamos muito satisfeitos com este acordo e parceria, uma vez que a Ardian trará recursos financeiros e estratégicos consideráveis para impulsionar a Frulact a tornar-se uma plataforma forte, que irá agregar e integrar outros negócios contíguos na indústria dos ingredientes de valor acrescentado e, consequentemente, consolidar o projeto Frulact”, sublinha João Miranda.

Do lado da Ardian, Philppe Poletti frisa: “Esta transação é um exemplo perfeito da especialização da Ardian no apoio à transformação e crescimento de projetos em indústrias cujo funcionamento dominamos, ao mesmo tempo que mantemos o legado do que foi criado pela família Miranda”. Em 2017, a Ardian adquiriu uma participação de 50% na também portuguesa Ascendi.

A Ardian foi assessorada nesta operação pela boutique de investimento Optimal Investmens, fundada por Jorge Tomé, José Maria Ricciardi e Luís Paulo Tenente, partner que, de resto, liderou a equipa neste negócio.

De acordo com um comunicado da Optimal, “com esta transação, a Optimal Investments começou 2020 de forma muito positiva, depois de um 2019 muito prolífico que envolveu inúmeros serviços de assessoria financeira”.

(Notícia corrigida às 20h45, porque o valor citado do negócio não está correto, segundo fonte oficial da Frulact).

Comentários ({{ total }})

Franceses da Ardian compram portuguesa Frulact

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião