Luís Montenegro: “Não vale a pena anunciar a minha morte política”

Ao lado de Luís Montenegro estavam, além de Margarida Balseiro Lopes, Maria Luís Albuquerque. Montenegro apelou ao fim "das divisões insustentáveis e agressividades intoleráveis".

O atual presidente do PSD, Rui Rio, e o antigo líder parlamentar Luís Montenegro disputaram este sábado a segunda volta das eleições diretas para escolher o próximo líder do partido.

Rui Rio foi reeleito com 53% dos votos, enquanto Luís Montenegro terá conseguido 47% dos votos dos militantes.

Pode consultar aqui no site do PSD os votos apurados em todos os distritos.

No discurso, após serem conhecidos os resultados, Luís Montenegro começou por saudar os militantes do PSD, em especial Margarida Balseiro Lopes, a mandatária da campanha, “ela que é uma garantia do futuro do PSD”.

Ao lado de Luís Montenegro estavam, além de Margarida Balseiro Lopes, também Maria Luís Albuquerque, antiga ministra das Finanças.

Montenegro agradeceu ainda a Miguel Pinto Luz, “pela sua campanha e contributo ao PSD” e, naturalmente, a Rui Rio: “ele foi vencedor das eleições, aqui não há nenhuma dúvida”. Disse esperar que Rio tenha êxito nos combates eleitorais que se seguem: as eleições regionais nos Açores este ano e em 2021 as autarquias.

Montenegro deixou entretanto um recado a Rio: “Não ponho em causa os resultados de hoje, mas com a responsabilidade de representar 47% dos militantes, pedia ao Dr. Rui Rio que saiba interpretar os resultados eleitorais do PSD e a avaliação que os militantes fizeram na urna”.

“É importante que o PSD tenha paz e unidade. Temos de contribuir para acabar com divisões insustentáveis e agressividades intoleráveis”, deixando um desafio ao líder do partido: “essa unidade começa na liderança e no líder”

Terminou o discurso pedindo ao PSD uma “oposição firme e exigente e uma alternativa política diferenciadora, diferente daquela protagonizada pelo PS e por António Costa”.

Quando respondia às perguntas dos jornalistas, e sobre o seu futuro, Luís Montenegro afirmou que “não vale a pena anunciar a minha morte política, porque essa notícia é manifestamente exagerada”

Na primeira volta, realizada há uma semana, apresentaram-se à corrida Rui Rio, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz. Nenhum dos três candidatos conseguiu superar a fasquia dos 50% exigida para evitar uma segunda volta.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Luís Montenegro: “Não vale a pena anunciar a minha morte política”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião