Grupo Mello “mantém confiança” na gestão da Efacec apesar de investigação à acionista Isabel dos Santos

  • ECO
  • 22 Janeiro 2020

Empresa é acionista minoritária da Efacec, que é detida pela Winterfell Industries de Isabel dos Santos.

O acionista minoritário da Efacec, o Grupo José de Mello, afirmou que mantém a confiança na empresa. A garantia foi dada, em declarações ao Jornal de Negócios (acesso livre), numa altura em que a acionista maioritária da energética, Isabel dos Santos, está a ser alvo de investigação por alegado desvio de fundos.

“Mantemos a confiança na empresa e na equipa de gestão”, disse fonte oficial do Grupo José de Mello, ao Negócios. O grupo detém, em conjunto com o grupo Têxtil Manuel Gonçalves, a sociedade que é acionista da Efacec, com cerca de 28% do capital. O acionista maioritário é a Winterfell Industries de Isabel dos Santos.

“Enquanto acionistas minoritários, com uma participação de cerca de 14% e sem representação na comissão executiva, acompanhamos de perto a evolução da atividade da Efacec e mantemos a confiança na empresa e na equipa de gestão“, sublinhou o Grupo José de Mello.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ) revelou no domingo mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de Luanda Leaks, que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano, utilizando paraísos fiscais.

A empresária Isabel dos Santos disse estar a ser vítima de um ataque político orquestrado para a neutralizar e sustentou que as alegações feitas contra si são “completamente infundadas”, prometendo “lutar nos tribunais internacionais” para “repor a verdade”.

De acordo com a investigação deste conjunto de órgãos de comunicação social, entre os quais o Expresso e a SIC, Isabel dos Santos terá montado um esquema de ocultação que lhe permitiu desviar mais de 100 milhões de dólares (90 milhões de euros) para uma empresa sediada no Dubai e que tinha como única acionista declarada a portuguesa Paula Oliveira, amiga de Isabel dos Santos e administradora da operadora NOS.

Os dados divulgados envolvem também o advogado pessoal da empresária, o português Jorge Brito Pereira (sócio da Uría Menéndez, o escritório de Proença de Carvalho), o presidente do conselho de administração da Efacec, Mário Leite da Silva (CEO da Fidequity, empresa com sede em Lisboa detida por Isabel dos Santos e o seu marido), e Sarju Raikundalia (ex-administrador financeiro da Sonangol).

Segundo os documentos, Isabel dos Santos e Sindika Dokolo têm participações acionistas de empresas e bens, como imobiliários, em países como Angola, Portugal — incluindo esta na Efacec –, Reino Unido, Dubai e Mónaco.

Comentários ({{ total }})

Grupo Mello “mantém confiança” na gestão da Efacec apesar de investigação à acionista Isabel dos Santos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião