Empresa de Felgueiras utiliza bolas de ténis para produzir solas ecológicas

  • Lusa
  • 5 Fevereiro 2020

A ISI Soles está a utilizar o material de bolas de ténis em fim de vida, proveniente da Holanda, para produzir solas ecológicas de calçado desportivo.

A empresa ISI Soles, sediada em Felgueiras, está a utilizar o material de bolas de ténis em fim de vida, proveniente da Holanda, para produzir solas ecológicas de calçado desportivo.

Fonte da empresa disse esta quarta-feira à Lusa que aquele trabalho começou este ano e partiu do desafio de um cliente holandês, que é proprietário de um campo de ténis.

A ideia era reutilizar as muitas bolas deixadas regularmente pelos praticantes da modalidade, neste caso usando os seus materiais para produzir solas de calçado.

As bolas foram trituradas num moinho da unidade industrial portuguesa e a esse material foram acrescentados resíduos de rolhas de cortiça e termoplástico.

O processo foi testado até se alcançar um “produto homogéneo”, transformado numa sola “confortável, durável e amiga do ambiente”.

A incorporação de resíduos nas solas de sapatos, assinala a empresa, não é nova para aquela unidade industrial de Sendim, Felgueiras, no distrito do Porto, mas a utilização dos materiais das bolas de ténis representa algo completamente inovador.

Graças ao novo composto, foram produzidos milhares de exemplares de solas para o cliente holandês.

A empresa assinala agora estar em condições de continuar a utilizar as bolas de ténis em fim de vida no fabrico de mais solas, num contexto de reciclagem, contribuindo para evitar que aqueles materiais sejam enviados para os aterros, como ocorre na maioria dos casos.

A ISI Soles exporta cerca de 90% da sua produção. Os restantes 10% destinam-se ao mercado nacional.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresa de Felgueiras utiliza bolas de ténis para produzir solas ecológicas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião