Fapil pioneira no fabrico de artigos para a casa a partir de lixo marítimo reciclado

  • Lusa
  • 7 Fevereiro 2020

A Fapil apresenta a primeira gama de artigos de limpeza e de arrumação para a casa fabricados a partir de lixo marítimo reciclado.

A Fapil apresenta esta sexta-feira a primeira gama de artigos de limpeza e de arrumação para a casa fabricados a partir de lixo marítimo reciclado na maior feira mundial de artigos para o lar, em Frankfurt, na Alemanha.

“Vamos ser os primeiros no mercado a fazer o aproveitamento de redes e cordas de pesca, todo o material que resulta da indústria piscatória, que não tinham encaminhamento, para fabricar produtos para a casa”, anunciou o presidente executivo desta empresa portuguesa, Fernando Teixeira, à agência Lusa.

A nova gama de artigos, como escovas, esfregonas, vassouras, baldes ou caixas de arrumação, está a ser fabricada contendo 20% de resíduos marítimos reciclados.

“Cada um de nós tem de fazer o que está ao seu alcance e a Fapil procura alternativas que possam ajudar o ambiente, procurar materiais que não estavam a ter um destino para serem valorizados”, sustentou.

No caso dos resíduos marítimos reciclados, “iam para incineração ou para aterros e a Fapil está a dar uma segunda vida a estes produtos em artigos que todos temos em casa para utilizar”, disse.

“Em termos de padrões, é uma gama muito incerta, porque estamos a utilizar diretamente esse plástico da pesca. Não queremos introduzir processos complementares”, explicou.

Com a nova gama de produtos, espera aumentar este ano para 22 milhões de euros o seu volume de negócios, acima dos 19,6 milhões de euros do ano anterior.

“Somos uma empresa essencialmente nacional, com pouca exportação e acreditamos que isto nos vai catapultar para os mercados internacionais”, frisou o presidente executivo.

As exportações representam 10% da sua produção e o objetivo é chegar a médio prazo aos 50%, faturando mais 10 milhões de euros.

A nova linha de produtos vai chegar aos consumidores entre o final deste mês e o início de março.

O objetivo é, no futuro, fabricar estes artigos usando 100% deste tipo de plástico.

Fundada há 45 anos, esta empresa com sede na Malveira, concelho de Mafra e distrito de Lisboa, desde há 20 anos que começou a fabricar produtos usando plástico reciclado e preocupa-se com a sustentabilidade ambiental e em “despertar consciências” para o reaproveitamento de resíduos.

Esta indústria já investiu na substituição de equipamentos fabris mais eficientes e numa central fotovoltaica, e introduz os seus desperdícios fabris no processo de produção de novos artigos.

Com cerca de 130 trabalhadores, a Fapil afirma ser líder de mercado em Portugal no desenvolvimento, produção e comercialização de acessórios de limpeza, como esfregonas, vassouras, baldes ou caixas de arrumação, e faturou 19,6 milhões de euros em 2019, um aumento de 5% face a 2018.

Notícia corrigida às 11h30 com o aumento do volume de negócios de 5% e não de 15% como avançado inicialmente pela Lusa

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fapil pioneira no fabrico de artigos para a casa a partir de lixo marítimo reciclado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião