TAP vai continuar a pagar prémios de desempenho, garante Neeleman

  • ECO
  • 14 Fevereiro 2020

David Neeleman, principal acionista da TAP, diz que a empresa vai continuar a pagar os prémios de desempenho, uma vez que considera que são "a forma mais eficiente" para gerir os quadros.

David Neeleman, o principal acionista privado da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP), garante que os prémios de desempenho são para continuar a ser pagos, uma vez que considera que são “a forma mais eficiente” para gerir os quadros. Em entrevista ao Observador (acesso pago), diz ainda não estar preocupado com os prejuízos da companhia.

“Todas as companhias pagam prémios de desempenho, é a fórmula consagrada em todo o mundo para gerir quadros de forma mais eficiente e, é assim que a queremos a gerir para estimular as performances individuais”, afirma David Neeleman, em entrevista ao Observador, acrescentando que “a TAP sempre pagou prémios e nos últimos 41 anos só deu lucro uma vez”.

Nesse contexto, o responsável aponta que a empresa vai continuar a pagar prémios, mesmo contra a vontade do Governo, cumprindo com o requisito de que 50% são relativos ao desempenho individual e os restantes 50% dependem dos resultados da companhia. “Pagámos prémios e vamos continuar a pagar prémios”, reitera Neeleman, à publicação.

Apesar de a companhia área portuguesa ter registado prejuízos de 111 milhões de euros, nos primeiros nove meses do ano — ainda que se tenha verificado um desagravamento face aos 120 milhões do acumulado até junho –, devido a “variações cambiais”, Neeleman diz não estar “nada preocupado com os prejuízos destes anos porque sei que vamos começar a fazer dinheiro e que a companhia é mais saudável”, ressalva. Relativamente à privatização da TAP, o responsável garante que “a companhia é hoje uma companhia melhor do que quando foi privatizada”.

Comentários ({{ total }})

TAP vai continuar a pagar prémios de desempenho, garante Neeleman

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião