Coronavírus continua a preocupar investidores, mas Wall Street recupera

Os investidores continuam preocupados com a propagação do coronavírus. Contudo, os mercados norte-americanos estão a recuperar das fortes quedas recentes.

Depois dos trambolhões, as bolsas norte-americanas estão agora a recuperar. Ainda assim, os investidores mantêm-se receosos face ao surto de coronavírus e às consequências que já estão a ser registadas na economia mundial.

O S&P 500 está a valorizar 0,53% para 3.144,78 pontos. Igual tendência regista o Dow Jones, que soma 0,49& para 27.213,24 pontos, enquanto o Nasdaq está em “terreno” positivo, avançando 0,66% para 9.024,47 pontos.

Os mercados norte-americanos estão, assim, a recuperar das quedas recentes provocadas por receios de que a epidemia de coronavírus esteja perto de se tornar uma pandemia, o que teria graves consequências não só na saúde pública, mas também na economia mundial.

Apesar dos sinais de recuperação nas bolsas, os investidores mantêm-se receosos, especialmente perante o aviso lançado pelo Centro de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano de que é preciso começar a preparar a chegada do vírus aos Estados Unidos. Donald Trump prestará declarações ainda esta tarde sobre o surto, estando os investidores expectantes.

“Não é claro se isto é algo que se resolverá nas próximas semanas, meses ou num período mais longo”, sublinha o analista Chester Spatt, da Universidade de Carnegie Mellon, citado pela Reuters. “Há potencial para um choque tanto no lado da procura como no lado da oferta. A magnitude desse choque não é certa, neste momento“, explica.

Na sessão desta quarta-feira, destaque ainda para os títulos da TJX Cos, que valorizam 8,04% para 64,52 dólares, depois desta rede de lojas norte-americanas ter registado vendas acima do estimado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Coronavírus continua a preocupar investidores, mas Wall Street recupera

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião