Governador do Banco de Portugal é “um ator político da maior relevância”, diz Centeno

  • ECO
  • 27 Fevereiro 2020

Mário Centeno tem sido apontado para o cargo de governador do Banco de Portugal, mas garante que não houve conversas no Governo sobre essa hipótese.

O ministro das Finanças defende que o governador do Banco de Portugal (BdP) não tem de ser um técnico, sendo que é um “ator político da maior relevância”, em entrevista à Visão (acesso pago). Mário Centeno tem sido apontado como uma possível figura para ocupar o cargo, mas questionado sobre o assunto garante que não houve conversas no Governo sobre essa posição.

O governador do BdP “conduz as políticas macroprudenciais, as políticas comportamentais, as políticas de supervisão, e depois participa na definição da política monetária do BCE”, aponta Centeno, traçando o perfil do cargo. O ministro das Finanças reitera, no entanto, que a decisão sobre a sua possível ida para o BdP “vai ser tomada a seu tempo, pelo Governo, e nessa altura seguramente o Governo explicará”.

Mário Centeno aponta ainda que não costuma “sofrer de ansiedade com coisas que vão aparecer várias semanas ou meses à frente na agenda”. Apesar de não fechar a porta a este cenário, Mário Centeno aponta que este não é o momento de fazer uma reflexão sobre o futuro, nem no Governo nem no Eurogrupo.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governador do Banco de Portugal é “um ator político da maior relevância”, diz Centeno

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião