Liga italiana adia Juventus-Inter e mais quatro jogos para maio por causa do Covid-19

  • Lusa
  • 29 Fevereiro 2020

O Juventus-Inter de Milão, e mais quatro encontros da 26.ª jornada da ‘Serie A’ da liga de futebol italiana foram adiados para 13 de maio devido ao coronavírus Covid-19.

A Liga italiana de futebol decidiu este sábado adiar o jogo Juventus-Inter de Milão, e mais quatro encontros da 26.ª jornada da ‘Serie A’, para 13 de maio, após a 36.ª ronda, devido ao coronavírus Covid-19.

Os cinco embates estavam agendados para domingo e, numa primeira decisão, na quinta-feira, tinha sido decidido, pelo Governo, que os mesmos se realizariam à porta fechada.

Além do embate entre o conjunto de Cristiano Ronaldo e o Inter de Milão, foram adiados os encontros Udinese-Fiorentina, Milan-Genova, Parma-Spal e Sassuolo-Brescia.

Na segunda-feira, o Governo tinha decidido realizar jogos à porta fechada em seis regiões do norte do país.

As seis regiões em questão são a Lombardia, Veneto e Piamonte, as três mais afetadas pelo coronavírus, mas também Friuli Venezia Giulia, Liguria e Emilia Romagna.

Nestas seis regiões, todas as competições desportivas com público tinham sido proibidas até domingo à noite, como parte da luta contra a propagação do Covid-19.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou pelo menos 2.916 mortos e infetou mais de 84 mil pessoas, de acordo com dados reportados por 57 países e territórios.

Das pessoas infetadas, mais de 36 mil recuperaram.

Além de 2.835 mortos na China continental, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

Dois portugueses tripulantes de um navio de cruzeiros encontram-se hospitalizados no Japão com confirmação de infeção.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Liga italiana adia Juventus-Inter e mais quatro jogos para maio por causa do Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião