Santander comprou os 65% que lhe faltavam da Allianz Popular

  • ECO Seguros
  • 2 Março 2020

O grupo Santander assumiu o controlo integral das subsidiárias Vida, Pensões e gestão de ativos da Allianz Popular e nomeou Giménez Bosch para a presidência da holding mista.

Depois de pagar 935 milhões de euros pelos restantes 65% que ainda não controlava na holding criada entre o banco Popular e a alemã Allianz, o grupo Santander liderado por Ana Patrícia Botín assumiu o controlo da totalidade do capital da entidade que integra as subsidiárias Allianz Popular Vida, Allianz Popular Pensiones e Allianz Popular Asset Management, noticiou o jornal Expansión.

Para liderar o conglomerado agora integrado no universo Santander, a instituição bancária nomeou Francisco Giménez Bosch, até agora diretor de Recursos e Seguros no Banco Santander. Na Alllianz Popular Vida, Bosch será coadjuvado por Oscar António Merino, também do Santander.

Ainda, de acordo com a publicação espanhola de informação económica, o Santander deverá ceder parte do negócio Vida-risco à seguradora Aegon, a qual passará esta atividade para uma sociedade detida em conjunto com o banco cantábrico. A seguradora holandesa distribui produtos do Santander e pagará 295 milhões de euros pela transferência do negócio.

O Santander retém o negócio seguro vida-poupança, cujos produtos serão distribuídos através do Santander Seguros. A atividade da gestão de ativos, pensões e fundos de investimento da Allianz Popular fica integrada na Santander Asset Management.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Santander comprou os 65% que lhe faltavam da Allianz Popular

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião