Emprego subiu 2,6% na UE na última década. Em Portugal caiu 3,3%

O emprego cresceu na União Europeia durante a última década, mas em Portugal a tendência foi contrária. A nível nacional, os Açores observaram o melhor desempenho.

O emprego cresceu 2,6% na União Europeia (UE) na última década, mas Portugal contrariou essa tendência. De acordo com o Eurostat, esse indicador caiu 3,3% a nível nacional, especialmente na zona centro. Analisando as regiões do país, os Açores destacaram-se nestes últimos dez anos, pelo facto de o emprego ter crescido 3,6%, a subida mais acentuada de todo o país.

Na última década, 148 das 238 regiões da UE com dados disponíveis viram o emprego crescer e, em mais de um terço, o número de desempregados diminui, refere o Eurostat. Na UE como um todo, a subida observada deste indicador foi de 2,6%. As maiores subidas foram registadas em Malta (46%) e no Luxemburgo (28,4%), enquanto as maiores quedas observaram-se nas regiões noroeste (-20,2%) e centro (-18%) da Bulgária.

Mas, por sua vez, Portugal contrariou a tendência registada na UE. A nível nacional, o emprego caiu 3,3% desde 2008. No continente, a queda foi de 3,5 e deveu-se, sobretudo, ao desempenho observado na zona centro, onde o emprego caiu 11,3%. Ainda por regiões, o Norte teve uma descida de 2,3%, à frente do Alentejo (-2,2%) e da Região Autónoma da Madeira (-2,1%).

Já quanto às regiões com subidas, o destaque desta última década foram os Açores, onde o emprego cresceu 3,6%. Atrás aparece o Algarve com um aumento de 1,2% e a Área Metropolitana de Lisboa com um crescimento de 0,2%, desempenhos que podem ser explicado pelo crescimento do setor do turismo.

Em 2018, emprego em Portugal cresceu mais do que na UE

Analisando apenas o ano de 2018, o Eurostat refere que o emprego cresceu 1,4% em toda a UE, um ano em que a economia europeia cresceu 2,2%. Das 240 regiões europeias, 208 viram este indicador subir, enquanto em 27 regiões o emprego caiu. As maiores subidas foram observadas em Malta (5,7%) e na Croácia Adriática (4,9%), enquanto as maiores descidas aconteceram em Maiote, em França (-2,9%) e no Centro-Norte da Bulgária (-2%).

Emprego na União Europeia em 2018 | Fonte: EurostatEurostat

Contudo, contrariamente à última década, em 2018 Portugal teve um desempenho mais positivo do que a média europeia. Nesse ano, quando a economia cresceu 2,6%, o emprego cresceu 2,3% em todo o território nacional, tendo subido em todas as regiões.

Numa análise mais detalhada por zonas, o Eurostat refere que o Algarve apresentou a subida de emprego mais expressiva (3,1%), à frente da Área Metropolitana de Lisboa (2,8%) e do Norte (2,5%). A subida mais modesta observou-se na Região Autónoma da Madeira (0,7%).

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Emprego subiu 2,6% na UE na última década. Em Portugal caiu 3,3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião