Linha SNS24 não atendeu 25% das chamadas no pico da crise

  • ECO
  • 5 Março 2020

Logo após a confirmação dos dois primeiros casos de coronavírus em Portugal, a linha SNS 24 recebeu 13.532 chamadas, sendo que 3.569 pessoas desistiram de esperar pelo atendimento.

A linha SNS 24 atingiu um máximo histórico na segunda-feira logo pós a confirmação dos dois primeiros casos de coronavírus em Portugal. Perante a afluência de chamadas, os enfermeiros não conseguiram dar resposta e atenderam apenas um quarto das chamadas em tempo útil, segundo dados do Portal da Transparência do SNS, avança o Público (acesso condicionado).

Nessa segunda-feira, dia 2, a linha SNS 24 recebeu 13.532 chamadas, sendo que 3569 pessoas desistiram de esperar pelo atendimento. A situação é ainda mais grave na linha que tem por objetivo orientar os médicos de todo o país para validar eventuais casos suspeitos.

A ministra da Saúde reconheceu o problema, e na quarta-feira, no Parlamento anunciou que esta linha de apoio aos médicos “vai ser reforçada”, sendo que já estão a “trabalhar com médicos que se voluntariaram para receber a formação necessária” para desempenhar esta tarefa. Marta Temido defendeu ainda que os médicos que estão nesta linha não podem desempenhar outras atividades.

A Administração Regional e Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) pedia, a semana passada, com “urgência” que fosse recrutado mais recursos para a Linha de Apoio ao Médico (LAM) e mais enfermeiros para a SNS 24.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Linha SNS24 não atendeu 25% das chamadas no pico da crise

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião