Revista de imprensa internacional

Em Espanha, o Governo vai aprovar esta quinta-feira um "plano de choque" para mitigar impacto económico do Covid-19 e a Iberdrola vai apostar no hidrogénio verde. Nos EUA, NBA suspende jogos.

Esta quinta-feira o Governo espanhol vai aprovar medidas, por forma a mitigar o impacto económico do coronavírus em Espanha, ao mesmo tempo, a NBA decidiu suspender a temporada depois de um jogador do Utah Jazz testar positivo. No Reino Unido, o salário mínimo nacional poderá chegar às 10,50 libras por hora até 2024.

El Economista

Governo espanhol aprova “plano de choque” contra o coronavírus

Tal como o Governo português, também o executivo espanhol vai reunir esta quinta-feira em Conselho de ministros para aprovar um “plano de choque” com medidas de apoio económico, por forma a mitigar o impacto do Covid-19 na economia espanhola. O primeiro-ministro espanhol já tinha anunciado algumas medidas na terça-feira, como, por exemplo, permitir que os pais e mães afetados pelo fecho de escolas dos filhos possam reduzir a sua jornada laboral. Além disso, o ministro da Segurança Social garantiu, em entrevista, que o Executivo irá assegurar as devidas compensações financeiras para os pais nessa situação.

Leia a notícia completa no El Economista (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Financial Times

Investidores tiraram 41,7 mil milhões de dólares dos emergentes desde que começou o surto

Os investidores estrangeiros já retiraram 41,7 mil milhões de dólares em ações ou títulos dos mercados emergentes desde 21 de janeiro deste ano, — altura em que os mercados globais começaram a refletir incertezas em torno do coronavírus –, segundo os dados do Instituto de Finanças Internacionais. Esta fuga de dinheiro é mais do dobro da registada em setembro de 2008, cerca de 51 dias depois do arranque da crise financeira. A maioria das saídas foi registada no mercado ações, e não de dívida, já que os investidores temem que as empresas das economias emergentes sejam particularmente afetadas pela desaceleração global prevista para este ano.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Bloomberg

NBA suspende temporada depois de um jogador testar positivo por Covid-19

A Liga Norte-Americana de Basquetebol profissional (NBA) decidiu suspender a temporada, depois de um jogador ter testado positivo para o Covid-19. Um jogador do Utah Jazz testou positivo num teste preliminar, sendo que o resultado chegou pouco antes do Utah Jazz jogar contra o Oklahoma City Thunder, jogo que acabou por ser cancelado. A decisão surge horas depois da maioria dos proprietários das equipas da liga terem ponderado realizar jogos à porta fechada.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Expansión

Iberdrola vira-se para o negócio do hidrogénio verde

A Iberdrola quer dar uma salto estratégico na sua aposta nas energias renováveis e, por isso, vai apostar no negócio do hidrogénio. O plano conta com um investimento avaliado em 150 milhões de euros e a empresa pretende criar uma fábrica em Puertollano, Espanha, por forma a produzir hidrogénio a partir de energia fotovoltaica. Com este investimento, a Iberdrola pretende descarbonizar o setor e torná-lo mais barato.

Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol).

The Guardian

Salário mínimo no Reino Unido poderá atingir as 10,50 libras por hora até 2024

Na apresentação do Orçamento do Estado do Reino Unido para 2020, o ministro das Finanças britânico, Rishi Sunak, estabeleceu como meta que o salário mínimo nacional atingisse as 10,50 libras por hora até 2024, em comparação com as 8,21 libras por hora, atualmente em vigor. Além disso, este salário será aplicado para todos os que tiverem mais de 21 anos, embora tenha sublinhado que este aumento só irá acontecer “se as condições económicas assim o permitirem”.

Leia a notícia completa The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês).

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião