Covid-19: Médis assegura entrega gratuita de medicamentos ao domicílio

  • ECO Seguros
  • 2 Abril 2020

Reforçando serviços de combate à covid-19, a seguradora disponibiliza a clientes a entrega ao domicílio de medicamentos e outros produtos farmacêuticos sem custo adicional.

O serviço está disponível nas farmácias da Rede Médis aderentes ao serviço, de norte a sul do continente e nas Ilhas. Os pedidos podem ser feitos após triagem na Linha Médis; consulta com o Médico Online; ou através de contacto com as farmácias aderentes, adianta um comunicado da seguradora de saúde.

A iniciativa beneficia de parceria com a Associação Nacional das Farmácias (ANF) e os CTT para que os medicamentos cheguem aos domicílios, sem que os clientes saiam de casa e sem qualquer custo adicional.

Sem limite de pedidos, os clientes podem encomendar medicamentos sujeitos a receita médica e medicamentos não-sujeitos a receita médica. Podem ainda ser pedidos produtos de saúde e bem-estar, dispositivos médicos, e alimentação infantil. Excluem-se apenas produtos de frio e psicotrópicos”, detalha a companhia em comunicado.

As entregas são feitas de segunda a sexta-feira e entregues no dia seguinte ao pedido, quando realizadas até às 13h, e após confirmação da farmácia, assegura a operadora do grupo Ageas Portugal, acrescentando que a lista de farmácias aderentes ao serviço está disponível online.

Após o reforço da Linha Médis e do lançamento da solução de telemedicina ‘Médico Online’, esta é mais uma resposta da Médis, “em articulação e complementaridade aos serviços disponibilizados pelo Serviço Nacional de Saúde no combate à pandemia da COVID-19”, reforça o comunicado.

A parceria da Médis com a ANF foi reforçada em 2018, através de uma iniciativa conjunta de que resultou a Go Far.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Médis assegura entrega gratuita de medicamentos ao domicílio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião