Britânica Debenhams vai declarar falência devido à pandemia

  • Lusa
  • 6 Abril 2020

Cadeia de lojas de roupa britânica pretende entrar em regime de falência para ter condições para reabrir os seus espaços assim que as medidas de contenção sejam levantadas pelo Governo.

A Debenhams, cadeia de lojas britânica, vai declarar falência para preservar a sua liquidez, enquanto tem a atividade interrompida pelas medidas de contenção devido à pandemia Covid-19.

Em comunicado, a empresa, que se dedica ao comércio de roupa, cosméticos, loiças e equipamentos elétricos, indicou que pretende entrar em regime de falência, pela segunda vez em menos de um ano, numa altura em que tem encerradas 142 lojas no Reino Unido.

Com esta medida, a Debenhams pretende ter condições para reabrir os seus espaços, assim que as medidas de contenção sejam levantadas pelo Governo.

A empresa reduziu o horário de trabalho à maioria dos seus 20 mil trabalhadores e continua a funcionar online.

“Temos o apoio dos nossos proprietários e credores e planeamos receber novos financiamentos para aguentar o atual período de crise”, afirmou o diretor-geral da marca, Stefaan Vansteenkiste, citado num comunicado a que a AFP teve acesso.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 70 mil. Dos casos de infeção, mais de 240 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Britânica Debenhams vai declarar falência devido à pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião