CEOs da Altri vão deixar o cargo. José Soares de Pina vai liderar a comissão executiva

A Altri quer criar uma Comissão Executiva para liderar a companhia, liderada por José Soares de Pina. Paulo Fernandes e Borges de Oliveira passam a não-executivos.

Há mudanças na liderança da Altri. No próximo mandato do Conselho de Administração, os atuais CEO da produtora de pasta de papel, Paulo Fernandes e João Borges de Oliveira, vão passar a exercer funções não executivas. A empresa quer criar uma comissão executiva, que terá como CEO José Soares de Pina. “Os acionistas da Altri vão propor, na Assembleia Geral Anual de 2020, alterações à composição do Conselho de Administração e a nomeação de uma Comissão Executiva“, adianta a empresa, em comunicado.

Paulo Fernandes e João Borges de Oliveira “manifestaram a intenção de passarem a exercer funções não executivas no próximo mandato do Conselho de Administração”. Na sequência desta decisão, será feita uma alteração do modelo de governação da empresa, que passa pela “criação de uma Comissão Executiva para levar a cabo a gestão corrente da Altri, liderada por José Soares de Pina, que assumirá a função de CEO”.

Integrarão também a Comissão Executiva José António Nogueira dos Santos e Carlos Alberto Van Zeller e Silva, adianta a empresa. Já para presidente do Conselho de Administração (Chairman), como membro independente, será proposto o Prof. Alberto João Coraceiro de Castro.

“Os acionistas da Altri estão convictos de que as alterações propostas, e que estarão sempre sujeitas, nos termos legais, às necessárias deliberações dos órgãos estatutários competentes, estão totalmente alinhadas com a missão, visão e valores da Altri, respeitam as melhores práticas no que se refere ao Environmental Social Governance (ESG), e contribuirão, ainda mais, para reforçar o compromisso da Altri com uma gestão criteriosa, assente na inovação, na melhoria contínua e na sustentabilidade”, garante a empresa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CEOs da Altri vão deixar o cargo. José Soares de Pina vai liderar a comissão executiva

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião