“Fique em casa”: Admiral é a primeira britânica a reembolsar parte dos prémios do ramo auto

  • ECO Seguros
  • 22 Abril 2020

A iniciativa responde a pressões de grupos de interesse e traduz-se em cerca de 114 milhões de euros em reembolsos a clientes com seguros de automóveis de passageiros e comerciais ligeiros.

A Admiral Plc, número um no mercado de seguro automóvel do Reino Unido, anunciou que vai devolver 25 libras esterlinas (cerca de 28,5 euros) a cada titular de apólices de seguros automóveis por estarem a conduzir menos no atual contexto de confinamento devido à covid-19.

Cristina Nestares, CEO da seguradora britânica sustenta: “O ‘Admiral Stay At Home Refund’ foi lançado para reconhecer os esforços consideráveis que as pessoas estão a realiza ao ficar em casa o máximo possível (…)”.

O montante total de reembolsos – estimado em 100 milhões de libras esterlinas – equivale a cerca de um mês de receitas em prémios do seguro, ou um terço dos lucros de 2019. A decisão da companhia passou por repassar aos clientes as economias percebidas com o número reduzido de participações de sinistro durante período de restrição na circulação rodoviária.

O reembolso, que a companhia afirma que acontecerá de forma automática (valor creditado na conta corrente de cada segurado até final de maio), deverá abranger um total estimado de 4,4 milhões de veículos que, a 20 de abril, estavam cobertos pela seguradora neste ramo de seguro.

De acordo com a imprensa britânica, a Admiral é a primeira companhia no mercado local a proceder a reembolsos no quadro do ‘Fique em casa’ imposto pelas autoridades devido à pandemia. A seguradora é líder do ramo automóvel no Reino Unido, onde atua entre outras com as marcas Admiral, Bell, Qualitas, Diamond, Elephant e Gladiator.

Alargando à operação internacional, com presença em diversos países, o grupo Admiral gere uma carteira internacional com 6,5 milhões de segurados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Fique em casa”: Admiral é a primeira britânica a reembolsar parte dos prémios do ramo auto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião